Esportes

William Simões é candidato único na eleição para presidência do Campinense

Atual mandatário será aclamado mais uma vez como presidente rubro-negro. Eleição será no dia 6 de dezembro.



Como já era esperado, William Simões vai ser, novamente, candidato único na eleição para a diretoria executiva do Campinense. O atual presidente, que vai disputar a reeleição pela segunda vez, registrou nesta sexta-feira sua candidatura, foi o único a colocar o nome à disposição para a disputa, para o pleito que vai acontecer no dia 6 de dezembro deste ano.

A informação foi confirmada pelo secretário administrativo do clube, Fábio Carvalho, logo após o encerramento do prazo para a inscrição das chapas, às 18h desta sexta-feira.

"A candidatura de William foi a única registrada e, portanto, ele vai concorrer sozinho na eleição do próximo dia 6 de dezembro", explicou Fábio Carvalho.

No comando do Campinense desde 2011, quando assumiu em um mandato tampão após a renúncia de Saulo Miná, William Simões vem colecionando resultados expressivos à frente da administração raposeira, no que pese o rebaixamento da Série C daquele ano. Em seu primeiro ano como presidente efetivo (2012), William montou uma equipe que, sob o comando de Freitas Nascimento, saiu da fila e conquistou o título do Campeonato Paraibano. A mesma equipe, porém, acabou fracassando na briga pelo acesso na Série D do Campeonato Brasileiro.

Na temporada seguinte, no entanto, veio a principal conquista do Rubro-Negro: a Copa do Nordeste de 2013 coroou a aposta da diretoria do Campinense em um treinador não tão conhecido no cenário nordestino, Oliveira Canindé, e um grupo que até então não tinha nomes de destaque no futebol local. Neste ano, mesmo com a conquista do Nordestão, a Raposa teve mais um insucesso e acabou ficando todo o segundo semestre sem calendário de jogos.

Em 2014, campanhas modestas no Paraibano (vice-campeão) e na Série D do Campeonato Brasileiro eliminação ainda na primeira fase, já com Francisco Diá no comando do time. Este ano, o Campinense voltou a conquistar o título do Campeonato Paraibano, dessa vez com sobras, mas o bom time formado no começo da temporada acabou sendo desfeito e, sem a mesma qualidade do primeiro semestre, a Raposa parou no Operário-PR na briga para voltar à terceira divisão nacional.