Esportes

FPF garante 17 datas para Campeonato Paraibano

Decisão, no entanto, vai depender apenas da anuência de todos os 10 clubes que vão participar da 1ª divisão e do sindicato dos jogadores. 



O Campeonato Paraibano de 2016 deve ganhar mais quatro datas e começar no dia 17 de janeiro. Foi o que afirmou o presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, que disse ainda que a decisão vai depender apenas da anuência de todos os 10 clubes que vão participar da 1ª divisão da competição e do sindicato dos jogadores.

O assunto vai ser discutido na reunião do conselho arbitral, que ainda não tem data prevista.

Nessa semana, Amadeu Rodrigues viajou para a sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e conversou com o diretor de competições da entidade, Manoel Flores, sobre a antecipação do início do campeonato estadual. De acordo com o presidente, a entidade paraibana recebeu o aval de começar o Paraibano no dia 17 de janeiro. Caso os clubes aceitem a proposta, o Paraibano vai para 17 datas.

"Começando dia 17 de janeiro e terminando como determina o calendário, no dia 8 de maio, ganharíamos mais quatro datas. Mas tudo isso só vai acontecer se os clubes aceitarem. Já fizemos a primeira reunião para discutir o paraibano com os clubes e pretendemos fazer mais algumas até o arbitral, que ainda não temos data definida. No entanto, ele deve acontecer lá para novembro, se formos começar no dia 17 mesmo", disse Amadeu Rodrigues.

Inicialmente, a CBF definiu em seu calendário para 2016 que os campeonatos estaduais teriam 13 datas. No entanto, os presidentes das entidades do Nordeste se reuniram e acordaram em pedir mais datas para as competições estaduais da região.

A diretoria do Botafogo já se pronunciou sobre o assunto e afirmou que não vai aceitar que o estadual termine após o dia 8 de maio. O Belo vai participar também da Série C do Campeonato Brasileiro e, ao contrário deste ano, não quer disputar o estadual e a competição nacional ao mesmo tempo.

O Campinense e o Treze ainda não se pronunciaram sobre o assunto. Os dois times de Campina Grande não conseguiram avançar na Série D e ainda não têm calendário para o segundo semestre do ano que vem.

A tendência, no entanto, é que os clubes optem por uma fórmula regionalizada, diminuindo assim os custos para todos os clubes.