Esportes

Marcelinho Paraíba vai retomar rotina sem risco de ser preso, diz advogado

Jogador teve prisão determinada há 18 dias por atraso no pagamento de pensão alimentícia.




Pouco mais de duas semanas após ter sua prisão decretada por conta de atrasos no pagamento de uma pensão alimentícia, o meia Marcelinho Paraíba vive a expectativa de retomar a sua rotina normal de treinos no Treze já nesta semana. E sem o risco de ser preso. Pelo menos é o que garante o advogado Afonso Vilar, que representa o jogador. Apesar de a decisão judicial ter sido tomada há 18 dias e de o mandado de prisão ter sido expedido há 11 dias, Afonso acredita que vai conseguir uma liminar que permite que o atleta permaneça em liberdade. O recurso de defesa de Marcelinho deve ser avaliado nesta terça-feira e, se tudo correr com o pretendido, o meia deve voltar a treinar o quanto antes.

De acordo com o advogado Afonso Vilar, o trâmite judicial atrasou por conta do recesso concedido pela Justiça da Paraíba após a deflagração da greve dos caminhoneiros. A decisão do juiz Cláudio Pinto Lopes, da Vara da Família de Campina Grande, foi tomada no último dia 11. E o mandado de prisão foi expedido uma semana depois, no dia 18. Na véspera da expedição do mandado da prisão, Marcelinho Paraíba já havia sido liberado pelo Treze para resolver problemas pessoais e, desde então, não aparece no clube. Seu advogado avalia positivamente o quadro envolvendo o pedido de revogação da prisão.

“Hoje o desembargador deve avaliar a nossa liminar e conceder. Assim, o pedido de prisão fica suspenso, e ele (Marcelinho Paraíba) pode voltar a trabalhar. Mas o processo segue na Vara da Família, onde as partes serão intimadas”, falou o advogado.

O último dia em que Marcelinho Paraíba trabalhou normalmente foi há quase duas semanas, no dia 16 de maio. A determinação da prisão, por parte do juiz, já havia sido tomada, mas não tinha se tornado pública ainda. No dia 17, dia do seu aniversário de 43 anos, o jogador já estava dispensado dos seus compromissos no Treze, sob a alegação de que precisava resolver problemas pessoais. E, no dia 18, a decisão judicial se tornou pública e o mandado de prisão foi expedido. Desde então, o meia ficou praticamente incomunicável. Até o seu advogado argumentou que não conseguia contato com ele.

O ex-jogador da Seleção Brasileira e de grandes clubes brasileiros – como Flamengo, Grêmio e São Paulo – é acusado de não cumprir com o pagamento de pensão alimentícia a um filho de 9 anos de idade. Essa não é a primeira vez que o jogador – que é ídolo na Alemanha, onde viveu o auge da sua carreira, no Hertha Berlim – fica em evidência na mídia por fatores independentes do futebol. Seja com brigas fora de campo, confusões envolvendo bebida alcoólica e até acusações de estupro, Marcelinho Paraíba coleciona uma vasta lista de polêmica longe da bola.

Leia mais no Globoesporte.com/pb


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.