Esportes

Hervázio fala em dificuldade para clubes receberem pagamento do Gol de Placa de 2019

Por suspeita de fraudes, programa foi suspenso e recursos não foram pagos no ano passado.




Hervázio lembrou que existe um processo no MPPB, apurando as supostas fraudes no Gol de Placa. Foto: Nyll Pereira/ALPB

Mesmo com o lançamento do Programa de Incentivo ao Esporte, que na prática é uma fusão dos antigos Gol de Placa e Bolsa Atleta, uma dúvida continua mexendo com a cabeça dos dirigentes dos clubes de futebol da Paraíba: quando será feito o pagamento do recurso referente ao exercício 2019? Questionado, o secretário de Juventude, Esporte e Lazer do Governo da Paraíba, Hervázio Bezerra, garantiu que acha muito difícil, mas adiantou que a resolução deste cenário não depende dele.

“Eu acho 2019 difícil [de ser pago], agora lógico que não depende de mim. Inclusive, recentemente, o governador João Azevedo chegou a divulgar uma portaria nomeando uma comissão e esta fará todo o estudo, no que se refere a 2019. Então vamos aguardar, pois tem um prazo determinado para que esta comissão conclua esse levantamento e como todos nós sabemos, existe um processo em tramitação no Ministério Público. Ele servirá de guia para que o governo possa trabalhar, superando os problemas que nós tivemos em 2018 e 2019, consequentemente gerando benefícios para os clubes”, afirmou Hervázio.

Alegando dívidas, contraídas pelos gastos da temporada 2019, representantes dos times que disputam a elite do Campeonato Paraibano estiveram acompanhados da presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho nesta segunda-feira (13), onde tentaram um diálogo com o governador e o secretário da Sejel, no sentido de tentar receber o pagamento do ano passado. O encontro foi durante a cerimônia do Programa de Incentivo ao Esporte, na Vila Olímpica Parahyba.

O Gol de Placa se chamará Paraíba Esporte Total, enquanto que o Bolsa Atleta será Bolsa Esporte. Hervázio Bezerra também disse que no novo formato do programa que destinará dinheiro aos clubes de futebol profissional, não existirá mais o cadastramento de números de CPF para aquisição de ingressos.

“Os clubes precisarão elaborar um plano de trabalho, que será analisado pela Controladoria Geral do Estado. Eles terão que cumprir fielmente este plano de trabalho, apontando em que vão gastar os recursos”, completou o secretário.

Novos valores

Com um orçamento previsto de aproximadamente R$ 4 milhões, o Paraíba Esporte Total terá cotas para os clubes de futebol e de outros esportes. Na divisão, R$ 3 milhões serão para os times profissionais e R$ 1 milhão para clubes de outros esportes. Veja:

Clubes de futebol:
Campeão paraibano: 303 mil
Vice-campeão: 250 mil
Demais clubes: R$ 1,3 milhão (aproximadamente R$ 166 mil para cada)
Representantes na Série C: R$ 403 mil
Série D: R$ 142 mil
Copa do Brasil: R$ 287 mil
Copa do Nordeste: R$ 274 mil

Clubes de outros esportes:
Campeonatos mais expressivos: R$ 250 mil
Demais clubes: R$ 750 mil (divido para os beneficiados)
Limite de 15% para cada clube, para representar a Paraíba em outras modalidades

No Bolsa Esporte serão investidos R$ 3 milhões, pagos através de bolsas de incentivo, dividas em 12 parcelas, beneficiando aproximadamente 350 atletas. No projeto, 30% das vagas serão destinadas para mulheres. Os valores das bolsas serão:

Atletas de nível internacional: R$ 2 mil
Nacional: R$ 1 mil
Institucional e estudantil: R$ 500 reais
Representatividade: R$ 4 mil


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.