Esportes

Governo remaneja mais de R$ 4 mi de recursos do esporte

Os valores dos repasses foram divulgados no Diário Oficial do dia 31 de dezembro, mas que só circulou neste último final de semana.




O governo do Estado, em recente remanejamento de verbas, retirou da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), a quantia de mais de R$ 4 milhões. As verbas que seriam destinadas a programas como o Bolsa Atleta, de administração e manutenção dos estádios e até de incentivos ao esporte para deficientes, passaram para outras secretarias de Estado. Os valores dos repasses foram divulgados no Diário Oficial do dia 31 de dezembro, mas que só circulou neste último final de semana.

Uma das quantias retiradas dos cofres da secretaria foi a que seria destinada para reformas dos estádios gerenciados pelo Estado, neste caso o Almeidão, o Amigão e o Perpetão. O repasse foi no valor de R$ 140,736 mil. Essas praças esportivas, inclusive, estão ameaçando o Campeonato Paraibano de 2012.

É que na última sexta-feira o Ministério Público anunciou que esses estádios, todos “condenados”, estão com instalações e estruturas comprometidas e, dessa forma, vetados para sediar jogos da competição.

As reformas propostas no início de 2011 por órgãos fiscalizadores, como o CREA-PB, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária não avançaram durante todo o ano passado e esses dois estádios foram chamados de “bombas-relógio” pelo promotor do Cidadão, Valberto Lira. Por causa disso, a presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Rosilene Gomes, declarou que se até o início do campeonato, previsto para o dia 5 de fevereiro, o Almeidão e o Amigão não forem liberados, a competição será adiada ou até cancelada.

Outra verba que também poderia ser usada para recuperar esses estádios seria a de “reforma de instalações esportivas”, no valor de R$ 330 mil. Esse dinheiro também ganhou outros rumos.

Além de verba para as reformas, a Secretaria também tinha dinheiro em caixa para “construção de injstalações esportivas”, que poderiam servir para melhorar o desempenho dos atletas e descobrir novos talentos. Para isso, foi previsto a verba de R$ 450 mil, que assim como as outras acabaram sendo remanejadas para outros setores.

Outro repasse foi no valor de R$ 607,544 mil que seria destinado ao Bolsa Atleta, programa que está suspenso desde que o atual governo assumiu o mandato. Os atletas paraibanos, a exemplo de Bruna Brunnett, que conseguiu a vaga nos Saltos Ornamentais para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara sem receber qualquer ajuda financeira do governo, e de Pretinha, que quase não consegue disputar a Corrida de São Silvestre por não ter patrocínio, ficaram sem a ajuda financeira estatal. Em entrevista ao Globo Esporte, no dia 17 de agosto, Fábio Maia havia prometido remodelar o programa até o final do ano passado.

Nem mesmo deficientes físicos escaparam do remanejamento de verbas. Os R$ 41 mil responsáveis por promover e incentivar as pessoas com qualquer deficiência a praticarem esportes e melhorar a qualidade de vida foram para os cofres de outras secretarias.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.