Economia e Negócios

Supermercados de Campina Grande investem em caixas de autoatendimento e importam tecnologia

Duas redes de supermercado da cidade oferecem o serviço onde o cliente passa e paga sozinho as compras.




autoatendimento

De olho na comodidade e facilidade para o cliente, duas redes de supermercados de Campina Grande investiram em caixas de autoatendimento para reduzir o tempo na fila e para que o consumidor tenha total autonomia na hora das compras. 

Os caixas permitem que o cliente não precise do auxílio de um funcionário para registrar e pagar as suas compras. O próprio consumidor escaneia o código de barra do produto e efetua o pagamento com cartão de crédito ou débito na máquina. Depois de registrar os produtos no leitor de código de barras, o cliente deve colocá-los nas sacolas, que ficam numa balança. Se algum item for colocado nelas sem que tenha sido cobrado, o sistema trava. Os caixas contam ainda com câmeras para aumentar a segurança.

Os caixas de autoatendimento são para pequenas compras, geralmente para pessoas que estão comprando até 15 itens. A intenção é que o cliente não passe tanto tempo na fila quando está com poucas compras e geralmente apressado.

Rede foi pioneira

O primeiro supermercado a implantar a tecnologia dos caixas de autoatendimento em Campina Grande foi a rede de supermercados Rede Compras. A ideia veio de fora do país: um dos diretores fez uma viagem internacional e teve o primeiro contato com a sistema, achou a ideia interessante e resolveu trazer a inovação para rede de supermercados na Paraíba, colocando quatro máquinas pra funcionar dentro da loja.

Segundo Poliana Olímpio, encarregada de frente de loja da rede de supermercados, no começo a novidade assustou um pouco os clientes, mas hoje, eles sentem falta quando o equipamento não está funcionando. “Tem cliente que quando chega na loja e as máquinas não estão funcionando, perguntam logo, sentem falta, dizem que é muito prático. As pessoas mais velhas que não sabem mexer pedem ajuda à supervisora das máquinas, acham mais rápido que ficar na fila normal”, disse.

A ideia pioneira contagiou outra rede de supermercado da cidade, a Ideal Supermercados, que depois de ver a praticidade e o sucesso que as máquinas faziam resolveu também implantar o sistema no estabelecimento. Segundo o gerente do supermercado, a busca pela inovação e pelo bom atendimento foi o que motivou a implantação das máquinas na loja.

Investimento é alto

Apesar da praticidade, as máquinas têm um alto custo.  Nenhuma rede informou o valor de cada máquina, mas confirmaram que o investimento é alto, mas vale a pena. Como as máquinas funcionam sozinhas, precisando apenas de uma pessoa supervisionando caso haja algum problema técnico ou tirando dúvidas e ajudando clientes que não sabem usar o equipamento, as redes economizam na contratação de funcionários para serem operadores de caixa e ganham na agilidade e na inovação.

* Sob a supervisão de Aline Oliveira


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.