Economia e Negócios

Saldo de emprego cai 14,6% na PB

Ao todo, foram gerados 1.754 postos de trabalhos contra 2.056 do ano anterior; dados foram divulgados pelo MTE e Caged.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Setor de Serviços liderou mais uma vez o ranking com um saldo de 1.158 empregos gerados

A Paraíba apresentou queda de 14,6% no saldo de empregos formais de outubro deste ano, comparado ao mesmo mês de 2011. Ao todo, subtraídas as admissões pelas demissões, foram gerados 1.754 postos de trabalhos contra 2.056 do ano anterior. O valor é o terceiro pior da série histórica para o mês, nos últimos 10 anos, ficando atrás dos números em 2003 (1.166) e em 2008 (1.646 postos).

Os dados foram divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e, conforme demonstram, o setor de Serviços liderou mais uma vez o ranking com um saldo de 1.158 empregos gerados – 66% do total.

Conforme o coordenador do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Renato Silva, a geração positiva de postos de trabalho e o crescimento no acumulado do ano – de 16.889 postos – são indicadores ainda "excelentes para o Estado".

O segundo setor que mais contribuiu para o incremento no saldo paraibano, desta vez, não foi o comércio – que contabilizou um saldo fraco com geração de 58 empregos formais -, mas a Indústria de Transformação, que gerou 556 postos no mês. “Historicamente, os setores de serviços e comércio são os que mais contribuem para a expansão do estoque de assalariados com carteira assinada. Mas isto mudou”, acrescentou Renato.

O saldo de outubro sobre setembro representou uma expansão de 0,48%. A construção civil contabilizou um estoque negativo (-83 postos), com mais demissões (2.928) do que admissões (2.845).

Conforme o ranking nordestino, Alagoas foi destaque com saldo de 5.419 postos de trabalho – ficando em 6º lugar nacionalmente -, contudo, no acumulado do ano, são os pernambucanos que lideram a lista, com saldo positivo de 51.622 carteiras assinadas. A Paraíba ocupa a 5ª posição nas duas análises. No país, em outubro deste ano, foram gerados 66.988 postos de trabalho – 1.710.580 admissões e 1.643.592 demissões. Dessa forma, o saldo de empregos do período acumulado subiu para 1.688.845 postos.

No país, outubro teve o pior resultado para criação de vagas de emprego para o mês de outubro desde 2008. Foram criados apenas 66.988 novos postos no mês passado. O resultado significa uma queda de 47% em comparação com as 126.143 vagas criadas em outubro de 2011. Segundo o ministério, a trajetória de queda vem se desenhando no país desde outubro de 2010.

Ainda assim, no acumulado do ano, há expansão de 4,46% no nível de emprego –o que corresponde a 1,688 milhões de novos postos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.