Economia e Negócios

Paraíba tem nove destinos para turismo religioso, mas fluxo ainda é baixo

"Potencial do Estado é forte, mas ainda é preciso organizar os destinos turísticos. Não dá para vender viagens sem organizar os roteiros turísticos”, analisou secretário de Turismo.




Luzia Santos
Do Jornal da Paraíba

Nove destinos despontam na Paraíba como potenciais atrativos para a prática do turismo religioso. Segundo a Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado, o Santuário de Frei Damião, em Guarabira, o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Araruna, a Cruz da Menina, em Patos, o Cristo Redentor, em Itaporanga, Santuário de Santa Fé, em Solânea, a Igreja de Nossa Senhora da Guia, em Lucena, o Cruzeiro de Roma, em Bananeiras, Pedra de Santo Antônio, em Fagundes, e os Caminhos de Padre Ibiapina destacam-se como pontos de peregrinação no Estado.

Para o secretário executivo de Turismo do Estado, Romeu Lemos, apesar dos atrativos da Paraíba, o fluxo de pessoas que viajam para conhecer os pontos religiosos ainda é pequeno. “O potencial do Estado é forte, mas ainda é preciso organizar os destinos turísticos. Não dá para vender viagens sem organizar os roteiros turísticos”, analisou.

Lemos explicou que existe uma diferença entre romeiros e turistas e que para promover o turismo sustentável nas cidades que possuem atrativos religiosos é preciso delinear tais limites. “Os romeiros viajam para pagar promessa em locais santos, mas levam comida e bebida de casa. Eles raramente se hospedam em hotéis ou pousadas ou fazem refeições em restaurantes. Por outro lado, o turista vem para conhecer o lugar, com diferentes motivações ele viaja e deixa dinheiro na cidade. Ambos são importantes para o desenvolvimento do turismo, mas o segundo é mais exigente”, ressaltou.

Ainda segundo Lemos, falta organização para trabalhar com turismo na Paraíba. “Nunca houve organização e união das pessoas envolvidas com o turismo. Cada cidade cuida apenas dos seus monumentos. Não se faz parceria ou se trabalha com roteiros turísticos”, lamentou. “Precisamos de um planejamento e de capacitação, para elaborar projetos que usem o grande potencial do turismo religioso do nosso Estado. É um campo com uma grande potencialidade”, afirmou.

Para estruturar os destinos a Secretaria de Turismo desenvolve, há cerca de um ano, um estudo para organizar os roteiros turísticos da Paraíba. Após o ordenamento, a secretaria deve promover ações integradas entre regiões turísticas do Estado. “Quem viaja gosta de conhecer vários lugares. Se oferecermos um roteiro que tenha mais de uma opção de destino turístico agregamos mais atrativos”, ressaltou. Salientando que embora uma pessoa possa estar interessada em conhecer uma cidade em razão de sua beleza histórica ou paisagística poderá também visitar monumentos ou santuários religiosos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.