Economia e Negócios

Cabedelo é uma das poucas cidades do Brasil sem agricultura, diz IBGE

Levantamento mostra que participação da Paraíba na produção agrícola nacional é muito pequena.




Dona de uma das maiores economias da Paraíba, a cidade de Cabedelo, na Grande João Pessoa, é uma das 14 em todo o país que não desenvolvem nenhum tipo de produção no ramo da agricultura. A informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta quinta-feira (13) a Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) de 2017. O levantamento também mostra que os itens agrícolas com maior destaque na Paraíba são a cana-de-açúcar e o abacaxi.

Segundo os dados do IBGE, dos 5.570 municípios do território nacional, apenas 14 não registraram nenhuma produção de qualquer um dos 64 produtos coletados pela PAM nos últimos 24 anos. Além de Cabedelo, aparecem na lista 10 cidades de São Paulo (Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Ribeirão Pires, Santana de Parnaíba, Santo André e São Bernardo do Campo); dois de Pernambuco (Recife e Fernando de Noronha) e Vitória, no Espírito Santo.

Em 2017, o milho foi a cultura que atingiu o maior número de municípios. Foram registrados plantios dessa cultura em 5 107 municípios, ou seja, 91,7% dos municípios nacionais;

seguida pela mandioca, com 4 598 municípios; e o feijão, com 4 390 municípios. As culturas menos plantadas foram: o rami e a juta cultivados em um município cada. Apesar do milho ser a cultura mais abrangente no país, ela não é aquela com maior valor de produção e nem a que possuiu maior produção, que em ambos os casos é a soja em grão.

Abacaxi teve o valor de produção mais alto (Foto: Francisco França/Arquivo)

Cana-de-açúcar e abacaxi na PB

Conforme os dados da PAM, a agricultura da Paraíba tem maior destaque nas lavouras temporárias. A cana-de-açúcar foi o produto que apresentou a maior produção, com 97.269 hectares. Mas, o valor de produção mais alto foi do abacaxi, com R$ 369, 2 milhões. Também se destacam as produções de milho e feijão, com 84.454 e 82.159 hectares, respectivamente.

A pesquisa também mostra a participação de cada estado da federação na produção agrícola do país como um todo.Neste ponto, a colaboração da Paraíba é ínfima, com apenas 0,4% do total, exatamente o mesmo percentual de 2016 .

São Paulo permanece em primeiro lugar no valor da produção, com 16,6% da participação nacional, seguido de Mato Grosso, com 13,6%.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.