Cultura

Professor da UFPB cria campanha virtual para publicar livro e distribuir em universidades

Segundo ele, objetivo é ajudar estudantes e fortalecer produção acadêmica do NE.




Rizemberg Felipe

Um professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) criou nesta sexta-feira (12) uma campanha virtual para arrecadar dinheiro e lançar um livro em formato impresso que deverá ser distribuído, inicialmente, de forma gratuita entre instituições de ensino do país. A meta é que sejam arrecadados R$ 1.500, valor exigido para a impressão do material.

De acordo com o professor Alan Mangabeira, autor da publicação “Transmídia: Do outro lado do espelho” e docente do Departamento de Comunicação da UFPB, o objetivo é ajudar estudantes da área de comunicação, sobretudo pelo Nordeste.

A obra é resultado da dissertação de mestrado dele, realizado na própria UFPB, e aborda o conceito de “narrativa transmídia”. O foco do trabalho são obras de ficção, a exemplo de novelas da Rede Globo e produções da TV paga, que tiveram repercussão em outros meios, além da televisão.

“Narrativa transmídia é, basicamente, você manter uma estrutura em que você divide um conteúdo, como se fosse um quebra-cabeças, e espalha as peças em mídias distintas. Ou seja, você tem um transbordamento de conteúdo para outras mídias, daí o termo ‘transmídia'”, explica Alan.

Segundo ele, o fenômeno é interessante por ser uma alternativa usada pelos meios de comunicação e produtores de conteúdo para driblar a pirataria e manter o interesse do público.

Doações

Conforme o professor, o livro será comercializado por uma editora a ser escolhida, contudo os exemplares entregues a ele serão todos doados a instituições de ensino públicas e enviados aos colaboradores da campanha.

“Vou privilegiar o Nordeste porque acho que a gente precisa disso e porque foi uma dissertação feita aqui. Sobrando exemplares, as doações continuam pelo Norte, pensando em outras regiões que tenham menos acesso a obras desse tipo”, observa.

Para ele, o lançamento da obra é necessário para valorizar e fortalecer o conhecimento produzido na Paraíba. “Esse conhecimento acaba sendo negligenciado muitas vezes, por puro preconceito de outras regiões e até de outros estados do Nordeste. Então é interessante que haja a circulação porque é um produto daqui”, menciona.

Contribuições

Para contribuir, acesse o site Vakinha, plataforma onde a campanha foi criada. As doações podem ser de qualquer valor e o prazo se encerra no dia 12 de abril deste ano.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.