Cultura

Orquestra Sinfônica de São Paulo faz concerto na praia de Tambaú

Percorrendo todas as regiões do Brasil em uma grande turnê cultural, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) realiza no dia 7 de novembro, às 20h, um grande concerto em João Pessoa.



Divulgação
Divulgação

Karoline Zilah

Percorrendo todas as regiões do Brasil em uma grande turnê cultural, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) realiza no dia 7 de novembro, às 20h, um grande concerto em João Pessoa. A novidade é que além de se apresentar em teatros e igrejas em outros estados, a orquestra demonstra ser inovadora ao executar composições de Tchaikovsky, Ricardo Wagner e Maurice Ravel ao ar livre, na Praia de Tambaú.

Sob a regência de John Neschling, tendo como convidado especial o músico Cláudio Cruz no violino, a Osesp leva 16 concertos a 14 capitais brasileiras entre os dias 1 e 19 de novembro. Além de proporcionar o acesso à cultura com entrada franca, a apresentação não terá limite de público, uma vez que acontece em espaço aberto nas areias da praia.

Para dar início à noite, será executada “Russlan e Ludmila”, de Mikhail Glinka. O programa tem continuidade com “Il Guarani: Abertura”, de Antônio Carlos Gomes e “A Força do Destino: Abertura”, de Giuseppe Verdi. Ainda poderão ser apreciados o “Concerto nº 1 para Violino em sol menor, Op.2 6: 3º movimento”, de Max Bruch, e “Reisado do Pastoreio: Batuque”, de Oscar Lorenzo Fernandez.

Um grande final está programado para fechar o concerto. Serão executados “Capricho italiano, Op.45”, de Pyotr I. Tchaikovsky, “Os Mestres Cantores de Nümberg: Abertura”, de Richard Wagner, e uma composição bem conhecida dos paraibanos, “Bolero”, de Maurice Ravel.

Sobre o maestro

John Neschling nasceu no Rio de Janeiro, em 1947. Seguiu a vocação para regência com Hans Swarowsky, em Viena, e com Leonard Bernstein, em Tanglewood. Dentre os concursos internacionais de regência que venceu, destacam-se os de Florença (1969), da Sinfônica de Londres (1972) e do La Scala (1976).

Em 1996, na Ópera de Washington, conduziu Il Guarany, com Plácido Domingo no papel de Peri. À frente da Osesp desde 1997, fez turnês pela América Latina, Estados Unidos, Europa e por todo Brasil. Nas últimas duas temporadas, regeu diversas orquestras, como a Sinfônica da RAI de Turim e a Orquestra Nacional da Bélgica.

Dedica-se também à composição para cinema e teatro, sendo o autor das trilhas dos filmes Pixote, O Beijo da Mulher-Aranha, Lúcio Flávio – o Passageiro da Agonia, Gaijin, Os Condenados, Desmundo e da minissérie Os Maias.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.