Cultura


No Dia da Fotografia, fotógrafos relembram cliques marcantes

Com experiências únicas, profissionais relatam experiências emocionantes da rotina por trás das lentes.




Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe
“Quando me dei conta, a foto acontecia na minha frente naquele momento", relembra Rizemberg Felipe

Neste sábado (19), comemora-se o Dia Mundial da Fotografia. E pensando em homenagear os profissionais que, com seus olhares únicos, tornam esta arte ainda mais especial, entrevistamos três fotógrafos para relatarem suas experiências com as lentes. A dinâmica foi simples: cada um escolheu um clique que considerava marcante e contou a história por trás dele. 

>>> "A fotografia é um espaço de liberdade", diz a fotógrafa Kleide Teixeira

>>> Felipe Gesteira conta que duelou com fã até conseguir foto de Amy Winehouse

Um dos eleitos foi Rizemberg Felipe. Com mais de 20 anos de carreira, ele já trabalhou como repórter fotográfico do JORNAL DA PARAÍBA e foi o responsável por ilustrar a última capa da versão impressa do jornal. Segundo ele, fotografia é sinônimo de vida. "Por causa da fotografia, saí de um mundo introspectivo quase totalmente cheio de medos para viver a vida, conhecer pessoas e ser herói de mim mesmo”.

A última foto para o jornal, escolhida por ele para esta matéria, retratou um momento especial. Foi quando ele realizou um sonho e viajou para Cuba. Acompanhada de uma matéria que buscava quebrar os clichês que costumam ser associados ao país, a imagem não descartava totalmente a visão estrangeira dos cubanos – ela a ampliava, destacando o orgulho dos habitantes daquele lugar. 

“Eu estava andando no bairro de Cuba Nueva e vi um carro muito bonito. Eu queria muito fotografar, mas o dono não queria deixar, não sei por que razão. Eu dei várias voltas na rua e ele acabou percebendo, porque passei pelo local várias vezes para ver se ele saía” relata Rizemberg.

A insistência deu certo e chamou, inclusive, a atenção de um pintor de rua que passava e decidiu olhar para o veículo para o entender o que o fotógrafo vira de diferente. “Para ele era só o carro da rua, mas para mim era um carro que eu nunca tinha visto até então em Cuba e queria muito fotografar”, lembra. 

O pintor, que antes atrapalhava o ângulo de visão do artista, acabou por tornar-se personagem e dar um toque singular à imagem. “Quando me dei conta, a foto acontecia na minha frente naquele momento. E o mais interessante é que o carro ficou por trás do pintor, que impedia o dono do carro de me ver", menciona Rizemberg.  

"Na camisa do pintor, estava o slogan da empresa dele – 'somos los mejores'. A foto ficou mais que perfeita e fez o fechamento do jornal impresso de uma forma majestosa, passando a mensagem de que o jornal estava encerrando sua parte impressa ali, mas continuaria sendo o melhor", finaliza. 

Exposição

Em comemoração ao Dia Mundial da Fotografia, Rizemberg abriu uma exposição na Estação Cabo Branco, em João Pessoa. Batizada de 'One Word', ela mostra o olhar do fotógrafo e suas impressões trazidas do desbravamento de quatro países – Índia, Nepal, Cuba e Peru. Na mostra, você confere a foto comentada na matéria e todo o acervo do profissional.

*Sob supervisão e edição de Phillipe Xavier