Cultura


Mesmo com reforma de R$ 2 mi, Cine Banguê volta a fechar as portas

Chefe do núcleo que coordena o cinema alegou problemas técnicos. 




Um ano e meio após a realização de uma reforma que custou quase R$ 2 milhões, o Cine Banguê fecha novamente as portas. A chefe do núcleo que coordena as atividades do cinema, Virgínia Duan, disse que a suspensão temporária é motivada por alguns problemas técnicos, que já estão sendo sanados.

Fundado em dezembro de 1982 e batizado com o nome de uma das obras do escritor paraibano José Lins do Rêgo, o Cine Banguê reabriu em fevereiro de 2016 como parte do projeto de reforma, requalificação e modernização do Espaço Cultural José Lins do Rêgo.

O Cine Banguê está agora construído em um novo ambiente, substituindo a antiga pista de patinação. O novo equipamento possui uma sala com 120 lugares, com quatro assentos reservados para pessoas com necessidades especiais. A nova obra foi fiscalizada pela Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan) e teve o investimento de R$ 1.959.540,74.

O equipamento cultural pertence à Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc). Fomenta e difunde a produção do audiovisual. Possui capacidade para 120 pessoas, sendo 116 lugares e mais 4 espaços para cadeirantes.

Sua programação é diversificada buscando incentivar a formação do público para obras que muitas vezes não se encontram disponíveis nos circuitos comerciais. O cinema é equipado com o projetor digital 2K. Exibe filmes do mundo, brasileiros e paraibanos, além de mostras especiais de cinema e vídeo.