Cultura


Galeria Casarão 34 abre exposição de Caique Cunha nesta quarta

Mostra é composta por vídeos e 29 fotografias em preto e branco.




Divulgação
Divulgação
A maioria dos registros foi feita com equipamento analógico, mas o artista também usou câmera digital

Uma parte de Nova York retratada sem as cores marcantes de uma cidade cosmopolita e em pleno processo de gentrificação – enobrecimento de uma região considerada desvalorizada. É o que mostra o fotógrafo Caique Cunha na exposição “Williamsburg: Paisagem em transformação”, que será aberta nesta quarta-feira (16), às 17h, na Galeria Casarão 34. Na abertura, haverá uma performance da Cenário Cia. de Dança. A entrada é gratuita e a exposição fica aberta das 10h às 16h, até dia 22 de setembro.

A mostra, que tem curadoria de Rodrigo Santana, já passou por Nova York, Rio de Janeiro, Niterói (RJ), Garanhuns (PE) é composta por vídeos e 29 fotografias em preto e branco que retratam a gentrificação de Williamsburg, uma região do Brooklyn. A maioria dos registros foi feita com equipamento analógico, mas o artista também usou câmera digital.

Segundo Caique Cunha, ele não tinha a pretensão de fazer uma exposição quando começou a fotografar Nova York, cidade onde passou uma temporada entre 2014 e 2016 fazendo cursos na Escola de Artes Visuais (SVA) e no Centro Internacional da Fotografia (ICP). A parte prática dos cursos era externa e, para uma das aulas, o artista decidiu fotografar uma produção de dança em Williamsburg, local que o surpreenderia.

“Quando cheguei a Williamsburg notei uma Nova York completamente diferente. Uma Nova York em transição. Imediatamente comecei a fotografar as ruas, registrando locais e histórias que seriam perdidas em um curto período de tempo. Durante alguns meses visitei aquele bairro, sempre fotografando. Foi quando percebi que o material registrava o processo de gentrificação pelo qual Williamsburg passava”, contou o artista.

Apesar de retratar uma parte de Nova York, uma cidade repleta de cores, o artista optou por fazer os registros em preto e branco. “Ao mesmo tempo que Nova York é uma cidade cheia de cores e luzes, é também cinza. Cheia de textura e contrastes. Para esse projeto, a cor era apenas um elemento coadjuvante. Eu queria mostrar uma Nova York clássica e emotiva, paralisada no tempo”, explicou.

Serviço

Exposição ‘Williamsburg: Paisagem em transformação”

Local: Casarão 34 (Praça Dom Adauto, Av. Visconde de Pelotas, 34, Centro)

Data: 16 de agosto (abertura)

Hora: 17h