Cultura


Rainha do pífano, Zabé da Loca morre aos 93 anos em Monteiro

Morte foi confirmada pela família na manhã deste sábado (5); ela enfrentava problemas causados pelo Alzheimer.




Divulgação: Alex Soares
Divulgação: Alex Soares

Morreu na manhã deste sábado (5) a artista Isabel Marques da Silva, de 93 anos, conhecida como Zabé da Loca. Ela morava no município de Monteiro, na região do Cariri  paraibano e enfrentava problemas de saúde causados pelo Alzheimer.

Zabé da Loca ficou conhecida por tocar pífano, flauta conhecida na região Nordeste. Reconhecida pelos artistas de todo o Estado pela simplicidade, o apelido 'Loca' surgiu da própria história de vida de Isabel, após morar durante 25 anos em uma gruta. Atualmente ela residia numa residência no assentamento de Santa Catarina, zona rural da cidade de Monteiro, onde morreu.

De acordo com informação da família, o corpo da artista será velado partir das 13h no memorial Zabé da Loca, situado no assentamento de Santa Catarina. No domingo, o corpo será levado para o Centro de Cultural de Monteiro, onde será velado a partir das 7h. O sepultamento está marcado para ás 10h, no cemitério municipal da cidade. 

Biografia 

Zabé é natural do município de Buíque, no Pernambuco, mas veio morar na Paraíba ainda quando adolescente. Ela foi descoberta em 2003, aos 79 anos, pelo projeto coordenado por Dom Helder Câmara, do Ministério do Desenvolvimento Agrário. No mesmo ano, a artista gravou seu primeiro CD, com o tema Canto do Semiárido, com composições próprias e versões de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Em 2009, Zabé da Loca recebeu o prêmio Revelação da Música Popular Brasileira. Um memorial em resgate a história da artista foi inaugurado durante o ano de 2016 na cidade Monteiro. Várias homenagens foram realizadas na época.

Luto

A assessoria de imprensa do município de Monteiro confirmou o decreto de luto durante três dias pela morte da artista Isabel Marques da Silva. 

Atualizado às 10h56