Cultura


Autor paraibano inicia financiamento coletivo para livro de estreia

Jornalista e escritor Tiago Germano lança seu livro 'Demônios Domésticos'. 




Gabriel Munhoz
Gabriel Munhoz
Além de autor, Tiago Germano já atuou como repórter do JORNAL DA PARAÍBA

O escritor paraibano Tiago Germano iniciou o financiamento coletivo de seu livro de estreia, “Demônios Domésticos”, pela editora Le Chien. O lançamento do jornalista, que já passou pela editoria de Cultura do JORNAL DA PARAÍBA, é uma coletânea de textos dividida em períodos que vão da infância à idade adulta. A crônica que abre o livro, “Óculos Ray-Ban”, deu a Tiago o Prêmio Sesc de Crônicas Rubem Braga de 2016.

O financiamento coletivo pode ser acessado por meio do site Catarse. O site tem o objetivo de arrecadar o dinheiro para a edição do livro a partir de sua compra antecipada e da aquisição de determinadas recompensas. É possível colaborar com faixas que vão de R$10, valor da colaboração espontânea, sem direito a brindes, a R$ 800, valor voltado para empresas parceiras.

No livro, diante de um carro de som que anuncia a morte dos habitantes de uma cidade e da coleguinha enterrada com o uniforme da escola, um garoto do interior descobre a finitude do mundo e a precariedade das coisas. Nos pequenos hábitos do dia a dia, o garoto descobre o amor, seus gestos, seus gostos, um inventário de burburinhos que ele guarda junto com sua coleção de palavras, no fundo de uma gaveta.

Ao longo das páginas, vamos conhecendo as histórias e os personagens que habitam o imaginário do escritor, território em que criaturas do passado se misturam a personagens do presente, e o domínio da ficção começa a transpor os limiares do real, passeando junto com ele pela cidade e encharcando seu olhar sobre o cotidiano.

Sobre o autor

Paraibano, nascido em Picuí, Tiago Germano é jornalista, atualmente cursa doutorado em escrita criativa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e em 2016 ganhou o Prêmio Sesc/DF Rubem Braga com a crônica “Óculos Ray-Ban”, que abre seu livro de estreia. Em 2005 foi eleito autor revelação do Prêmio Correio das Artes por algumas das crônicas presentes neste volume.