Cultura


Orquestra Sinfônica Jovem da PB apresenta dois concertos nesta semana

Concertos acontecem nesta quarta (14) e sexta-feira (16).




A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba vai encerrar a programação do primeiro semestre com dois concertos esta semana, onde se destaca a música brasileira. Nesta quarta-feira (14), véspera do feriado de Corpus Christi, a OSJPB vai apresentar o 3º Concerto Oficial da Temporada 2017 na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, às 20h30, e na sexta-feira (16) fará a primeira participação deste ano no Projeto OSPB nos Bairros, às 19h, na Igreja São Francisco de Assis, bairro de Mangabeira.

A regência dos dois concertos, que terão entrada gratuita, será do maestro Luiz Carlos Durier. O trombonista pernambucano Erivaldo Silva vai atuar como solista da apresentação de quarta-feira, na execução do “Concerto para Trombone Baixo e Orquestra”, de Eric Ewazen (1954). Antes, a orquestra abre o concerto com “Marcha Escocesa”, de Claude Debussy (1862-1918). Após um breve intervalo, os músicos da OSJPB voltam ao palco para mostrar ao público presente a composição de Alberto Nepomuceno (1864-1920), “Série Brasileira (Alvorada na Serra, Interlúdio, A Sesta na Rede e Batuque)”.

O maestro Durier destaca a importância da música de Nepomuceno, que vai encerrar os dois concertos. “É uma obra marcante, que iniciou o movimento nacionalista dos compositores brasileiros, cuja característica mais interessante é o uso do reco-reco pela primeira vez como instrumento de percussão numa obra sinfônica”, ressaltou. “Nepomuceno compôs essa obra na Alemanha, em 1891, quando ele estudava lá”, explicou o maestro.

Entre as músicas de “Série Brasileira”, A Sesta na Rede chama atenção pela beleza e pelos detalhes da execução pela orquestra. Para expressar esse destaque, Durier lembra a citação do musicólogo brasileiro Luiz Heitor: “A Sesta na Rede tem a moleza cálida das horas de sol a pinho, quando adormentada pelo vibrando afago da brisa, a gente nordestina busca preguiçosamente a rede e se entrega a seu leve e sonolento embalo”.

Erivaldo Silva, solista do concerto de Eric Ewazen, é pernambucano de Paudalho e começou a estudar música aos 16 anos, na banda Marcial da Escola Confederação do Equador. Mais tarde ingressou na Sociedade de Cultura Artística 22 de Novembro e no Centro Profissionalizante de Criatividade Musical do Recife. Sua relação com a Paraíba começou quando foi aluno do trombonista paraibano Radegundis Feitosa, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Bacharel em Trombone Baixo pela UFPB, atuou na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, na Big Band Rubacão Jazz, ingressou na rede estadual de ensino em 2015 como Regente de Bandas Marciais e este ano passou ser professor itinerante e chefe de naipe da Orquestra de Metais e Percussão da Gerência de Bandas do Estado da Paraíba. Erivaldo Silva esteve presente em vários festivais de trombone no Brasil e no exterior.