Cultura


Mais de 10 mil lotam o Espaço Cultural no 2º dia do Campus Festival

Humberto Guessinguer foi a grande atração da noite do festival universitário. 




Rafael Passos/divulgação Campus Festival
Rafael Passos/divulgação Campus Festival

O cantor e compositor Humberto Guessinguer foi a grande atração da noite de shows do Campus Festival 2017 neste sábado (29), que contou ainda com as apresentações de Seu Pereira e Coletivo 401, Maneva e Baiana System, no Espaço Cultural, em João Pessoa. O gaúcho movimentou o público de mais 10 mil pessoas, com  grandes sucessos do Engenheiros do Havaí e da sua carreira solo. Este domingo (30), o evento vai ser dedicado a palestras. O ator, diretor e produtor Wagner Moura é a mais esperada.

Humberto era atração esperada pela maioria do público, tanto que o público lotou a pista do Espaço Cultura. Mas o cantor gaúcho foi o último a pisar no palco do Campus Festival. Toda a espera valeu a pena para público, que cantou junto grandes sucessos dos Engenheiros do Havaí. 

Humberto começou o show cantando as músicas do segundo disco do Engenheiros do Havaí, A Revolta dos Dândis, como Terra de Gigantes e Infinita Highway. Mas ele também cantou músicas novas, como a Alexandria, que foi feita em parceria com Tiago Iork. Além disto, o cantor tocou também outros sucesso do tempo do Engenheiros, como Piano Bar e Era Um Garoto que Como Eu Amava os Beatles e Rollings Stones. 

Humberto foi a atração principal, mas o público também balançou ao som de Baiana System. Com seu discurso engajado e um som indefinível, a banda de Salvador reencontrou João Pessoa após sete anos. Os baianos trouxeram a mistura da guitarra baiana com batidas do rap, samba, rock, afoxés e até o baião. 

Baiana 

O Baiana System fizeram um pouco mais de uma hora de show e também cantaram sucessos do seu repertório, como Playsom, Lucro, Duas Cidades e Terapia. Além disto, teve o polêmico Fora Temer, puxado pelo cantor Russo Passapusso e entoado pela multidão. Após o show, a banda seguiu para Recife para outro show, já que o que eles iam fazer na cidade na sexta-feira foi cancelado por causa da Greve Geral. 

(Foto: Rafael Passos/ divulgação Campus Festival)

"Esta é a segunda vez que viemos a João Pessoa. Da primeira vez, Chico Corrêa, que é paraibano, ainda era da banda. A gente tentou que ele participasse hoje, mas a correria da gente e dele não deu certo. A gente está fazendo João Pessoa, vamos para Recife e depois Fortaleza. Para gente é importante fazer o Duas Cidades no Nordeste. Viemos de um show em Salvador, que Bule-Bule, que é importante para a agente também, pois queremos tirar o entendimento da música da Bahia como a música de Salvador", disse Betinho Barreto, do Baiana System. 

Os paulistas do Maneva também fizeram agitaram a multidão. A banda embalou a multidão com sucessos como Saudades do Tempo, Luz Que Me Traz Paz e O Destino Não Quis. Esta foi a primeira vez do Maneva em João Pessoa e os fãs foram recepcionados no camarim da Banda. 

Paraibanos

Seu Pereira e Coletivo 401 foi quem abriu a noite e cantou músicas conhecidas do público, como Já Era, Cabidela e É pouco . No palco do Campus, a banda lançou seu novo trabalho: Eu Não Sou Uma Boa influência para Você, que foi financiado pelos fãs.