Cultura


Paixão pela cultura oriental e internet unem público da Super-Con

Evento acontece neste fim de semana na capital paraibana.




Cógenes Lira
Cógenes Lira
Jovens participaram do evento que acontece em João Pessoa pelo segundo ano

A Super-Con João Pessoa 2017 reuniu milhares de pessoas no primeiro dia de programação no sábado (8), no Espaço Cultural José Lins do Rêgo. Um público diverso, que ia de crianças a adultos, todos compartilhando o gosto em comum por animes, cultura K-Pop, jogos online e pelas principais atrações do dia, Afreim e Igão Underground - os youtubers foram o foco infanto-juvenil do evento.

Afreim e Igão subiram ao palco e conversaram com o público por cerca de uma hora e depois participaram de uma sessão de fotos. Uma fila com mais de mil pessoas foi formada para o momento. Afreim, inclusive, foi o motivo principal da presença dos estudantes Gustavo e Henrique Andriola, que foram acompanhados da mãe Tyane Andriola, de 32 anos.

Henrique, que faz aniversário neste domingo (9), pediu o ingresso do evento como presente de aniversário. "Eles vieram com o pai ano passado, mas ficaram cerca de meia hora e voltaram reclamando. Esse ano, eu resolvi vir com eles, para ficarem mais. E amanhã é aniversário do Henrique, ele pediu de aniversário e estou dando o presente", contou Tyane.

O evento teve também transmissão do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), que reuniu um grande público na arena, empolgado com cada lance. Além disso, comerciantes aproveitaram a ocasião e a paixão dos aficcionados pela cultura oriental para venderem histórias em quadrinhos, games, camisas e objetos de personagens.

Evento conta com diversas tendas de comércio para os frequentadores (Foto: Cógenes Lira)

Inclusão

Entre o público, dois fãs de cultura pop chamavam a atenção - mas de forma positiva. Eram as crianças João Lucas, de 11 anos, e João Vitor, de 12. Lucas é deficiente físico e Vitor é autista, sofre com Síndrome de Asperger. "Eu vim para ver o Afreim. Sou inscrito no canal dele e curto todos os vídeos. Também gosto do Igão, curto as piadas dele", disse Lucas, que veio pela primeira vez ao evento e teve que mostrar ao pai bom comportamento e boas notas para garantir a oportunidade.

"Ele perdeu o primeiro [Super-Con João Pessoa] e pediu muito para vir nesse. Tiveram as condições e, apesar de algumas notas não estarem tão boas, ele mereceu", contou o pai do menino.

Já João Vitor, que estava inquieto pela demora na fila, disse que a principal motivação para estar ali era ver o Afreim. "Também vim para comprar coisas", ressaltou, enquanto já segurava uma espada de Minecraft, um Snorlax de pelúcia e uma sacola cheia de itens.

Para a mãe do menino, o universo dos animes e da internet ajuda bastante João Vitor nas interações diárias. "Muitos jogos e atividades aproximam e, pelo gosto, em comum todos se aceitam. É um mundo democrático. É difícil a interação dele no dia a dia, na escola, em casa, com o pessoal, mas os jogos aproximam", contou. "O mundo deveria ser uma Super-Con".