Cultura


'Os treze porquês' chega ao Netflix falando de depressão e suicídio

Série produzida pela cantora Selena Gomes adapta livro de Jay Asher.




Uma estudante tira a própria vida após sofrer durante dois anos com o bullying, o preconceito e o machismo na escola - essa é a premissa de '13 Reasons Why' ('Os treze porquês'), série da Netflix que estreou na plataforma na última sexta-feira (31). Hannah Baker, interpretada por Katherine Langford, deixa gravado em fitas cassetes as razões pelas quais cometeu suicídio. As gravações são destinadas a colegas de escola que foram responsáveis pela atitude de Hannah.

A série é baseada no livro homônimo de Jay Asher, publicado em 2007, e vem gerando burburinho nas redes sociais desde sua estreia. No Twitter, espectadores que maratonaram os treze episódios da série promoveram a hashtag #NaoSejaUmPorque e #AprendiCom13rw na tentativa de conscientizar as pessoas sobre como atitudes, piadas e preconceito podem ser danosos às vítimas.

A proposta da série revela a representatividade da ficção na realidade ao desvelar as Hannahs da vida real. Segundo um estudo conduzido pelas pesquisadoras Aline Fonseca, Maria Lima Coutinho e Regina de Azevedo com estudantes de Psicologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, o estado depressivo é comumente associado a problemas afetivos e relações sociais insatisfatórias.

"Os estudantes com sintomas de depressão representam a doença como algo desencadeado por um conjunto de problemas advindos do sofrimento, da solidão, do preconceito", declaram as pesquisadoras. "O fato de eles apresentarem sintomas dessa doença faz com que eles tenham uma representação de si mesmos como tristes, sozinhos e desmotivados, que necessitam de ajuda para enfrentar este problema", concluem.

Ao longo de 'Os treze porquês', as fitas cassetes de Hannah revelam aos colegas que atitudes, palavras e piadas que a levaram a tirar a própria vida - e mostram como a compreensão e o apoio teria sido essencial para evitar a tragédia. Mensagem da ficção que precisa reverberar na realidade.