Cultura


Enterrado corpo de Maroca, uma das 'Ceguinhas de Campina Grande'

Artista morreu no último sábado (25), no Hospital de Trauma de Campina Grande. 




Reprodução/TV Paraíba
Reprodução/TV Paraíba
Amigos e familiares acompanharam o velório da artista

O corpo da cantora Maria das Neves Barbosa, 72 anos, mais conhecida como Maroca, foi enterrado no fim da tarde de domingo (26), no cemitério do Monte Santo, em Campina Grande. Familiares, amigos e pessoas próximas acompanharam o sepultamento da artista. Maroca fazia parte do grupo 'Ceguinhas de Campina Grande' e morreu no sábado (25), após ser internada no dia 21 no Hospital de Trauma de Campina Grande com sintomas de acidente vascular cerebral (AVC), decorrente do diabetes.

As irmãs da artista, Poroca e Indaiá, que integram o grupo, lamentaram a morte da companheira e adiantaram que o grupo vai continuar. "A gente nunca pensou que 'Maroca' ia tão cedo desse jeito. A gente pensou que ela ia durar bem muito, mas Deus quis levar ela logo. Maroca era 'boazinha', mas aí teve diabetes, AVC e problema nos rins”, disse Poroca.

Sobre a cantora e compositora, o prefeito Romero Rodrigues destacou o simbolismo de resistência cultural que a artista e suas irmãs sempre representaram para a cidade e sua gente. "Aos 72 anos de idade, Maroca deixa um legado de humildade e amor à arte. E sempre teve orgulho de ser reconhecida como integrante do trio que formava com suas irmãs, até porque a vaidade entre elas nunca teve espaço, muito pelo contrário", segundo o prefeito.

As irmãs durante muitos anos pediam esmola na esquina da antiga Livraria Pedrosa, no Centro de Campina Grande. Após o lançamento do filme 'A pessoa é para o que nasce', foram produzidos dois CDs com as músicas interpretadas por elas, um dos quais foi composto de releituras feitas por grandes nomes da MPB como Hermeto Paschoal, Lirinha, Elba Ramalho, Otto, Tereza Cristina e Zé Renato, entre outros.