Cultura

Xilografias de Ricardo Pessoa são expostas na Estação Cabo Branco

Exposição será aberta nesta sexta (17), às 17h, com apresentação de maracatu.




Adriano Monteiro/Astur-PE
Adriano Monteiro/Astur-PE
A cultura africana é resgatada e registrada através das xilogravuras de Ricardo Pessoa

A exposição "História de Orixás" será aberta ao público nesta sexta-feira (17), a partir das 17h, na Estação Cabo Branco, no Altiplano. A obra do artista Ricardo Pessoa apresenta o registro e resgate das histórias dos orixás por meio da xilogravura em comunidades quilombolas do agreste pernambucano. A mostra pode ser visitada até o dia 21 de maio e a entrada é gratuita.

As xilogravuras de Ricardo Pessoa são elaboradas usando a técnica fechada, onde ele valoriza as silhuetas das imagens dos orixás mergulhadas na imensidão do negro, dando a imagem em valor plástico diferente, como se cada xilogravura flutuasse no universo. Sem esquecer o aspecto religioso, a exposição foca, sobretudo, na valorização, conhecimento e preservação da cultura de sua etnia.

No espaço expositivo do primeiro pavimento da Torre Mirante ficam expostas as dez xilogravuras de 30 x 40 centímetros com imagens dos orixás (oxalá, iemanjá, ogum, oxossi, exú, oxum, xangô, omulú) e mais a oferenda do menino brasileiro. Paralelo à exposição, o artista também desenvolve oficinas para crianças e adolescentes mostrando a importância da cultura africana.

A abertura da exposição será animada pelo grupo de maracatu de Pernambuco e terá a presença do diretor da Fundação Nacional de Arte, Jairo Lima, e da representante do Norte e Nordeste do Ministério da Cultura (Minc), Maria do Céu. A mostra pode ser visitada até 21 maio com horário de visitação de terça a sexta-feira de 9h às 18h, e sábados, domingos e feriados de 10h até às 19h.

O artista

O xilogravurista Ricardo Jorge Soares Pessoa é natural de Pombos (PE). Além da xilogravura, o educador em arte dedicou boa parte de sua vida ao registro e resgate dos valores da cultura da região em que vive. Realizou várias oficinas de xilogravuras com crianças, adolescentes e público interessado em cidades da região metropolitana e interior de Pernambuco, sempre com temas voltados para o acesso ao conhecimento e preservação da cultura popular.

Atua diretamente em feiras e mercados públicos com exposição e venda das xilogravuras. Realizou várias exposições e oficinas em locais públicos e privados de Olinda, Recife, Caruaru, Lagoa dos Gatos e Cupira (PE).

Em 2015 foi selecionado com nota máxima no edital da Funarte, com uma bolsa de apoio a artistas e produtores negros com o projeto Registro e resgate das Histórias dos Orixás, através da xilogravura em comunidades Quilombolas do Agreste de Pernambuco.

Como resultado da finalização do Projeto realizou exposições das xilogravuras de sete Orixás, capa e xilogravura da Oferenda Africana na Galeria de Arte Xinxin das Artes (Olinda), no Espaço Dandara (Caruaru).

Atualmente é monitor no Programa Mais Educação nas Escolas Públicas Municipais de Lagoa dos Gatos (PE), onde passa sua técnica da xilogravura fechada a alunos do Ensino Fundamental.