Cultura


Ator britânico John Hurt morre aos 77 anos vítima de câncer

Olivaras na série Harry Potter foi indicado pelo menos duas vezes ao Oscar. 




Divulgação
Divulgação

O ator britânico John Hurt morreu nesta sexta-feira (27), cinco dias após ter completado 77 anos. O artista lutava desde 2015 contra o câncer. Com participação em mais de 200 filmes e séries de televisão, Hurt chegou a ser indicado ao Oscar de melhor atuação em "O homem elefante" (1980) e como coadjuvante, por sua atuação em "O expresso da meia-noite" (1978). O britânico, entretanto, ficou mais conhecido pela participação em três filmes da série "Harry Potter", ao intepretar o senhor Garrick Olivaras, vendedor de varinhas do universo do bruxo mirim.

Hurt nasceu em 22 de janeiro na cidade inglesa de Derbyshire. Tinha revelado em 2015 que sofria de câncer do pâncreas mas disse na altura que tencionava continuar a trabalhar, o que fez até quase ao final. Além de Harry Potter, nos últimos anos ele passou por diversos papeis em franquias populares, como nos dois dois "Hellboy" e até em "Indiana Jones e o reino da caveira de cristal" (2008). Em 2013, ele ainda assumiu o papel de uma das encarnações do Doutor em uma sequência de episódios especiais de "Doctor Who".

Afora as indicações ao Oscar, Hurt foi lembrado duas vezes pelo Globo de Ouro pelos mesmos papeis (ganhou como coadjuvante pelo filme de 1978), e ganhou quatro troféus Bafta, a maior premiação do cinema britânico (além de ser indicado outras quatro vezes).

John Hurt na cena do longa "Alien, o oitavo passageiro" que supreendeu até a equipe. Foto: divulgação.

Personagens marcantes 

Ao longo de sua carreira de 60 anos, ele viveu papeis marcantes em grandes produções, como "Alien, o oitavo passageiro" (1979), "V de vingança" (2005) e "O espião que sabia demais" (2011). Um de seus trabalhos mais recentes foi em "Jackie" (2016), que conta a vida da ex-primeira dama americana, Jacqueline Kennedy.

Após ficar conhecido em "O homem que não vendeu sua alma" (1966), o britânico de Chesterfield recebeu sua primeira indicação ao prêmio da Academia ao viver Max, um prisioneiro inglês com vívio em heroína no filme "O expresso da meia-noite", de Alan Parker. Apenas dois anos depois, ele foi lembrado novamente pela maior premiação do cinema. Dessa vez, no papel principal.

Em "O homem elefante", de David Lynch, Hurt entregou o trabalho de sua carreira como John Merrick, um homem com diversas deformidades que é usado como atração de um show de horrores na Londres do século 19. Ele é resgatado pelo doutor Frederick Treves, interpretado por Anthony Hopkins, que descobre um homem inteligente e sensível por trás da estranheza do protagonista.

O ator também protagonizou uma das cenas mais marcantes do cinema de terror em "Alien, o oitavo passageiro". O diretor Ridley Scott conta que preferiu não informar ao elenco o que aconteceria com o personagem de Hurt quando o pequeno monstro alienígena saísse de seu peito, e obteve uma reação de horror genuíno dos atores.

1984

Outro clássico com futuro distópico protagonizado pelo inglês é "1984", adaptação cinematográfica da obra de George Orwell. Nele, Hurt viveu Winston Smith, o protagonista que se rebela contra um regime autoritário após se apaixonar.

Ironicamente, décadas depois ele assumiria o papel de um déspota fascista em uma nova adaptação. Em "V de vingança", seu Alto Chanceler Adam Sutler é o antagonista do herói criado nos quadrinhos de Alan Moore.