Cultura

Sinfônica da Paraíba realiza apresentação nesta quinta

Concerto, o 11º oficial da Temporada 2016, será no Espaço Cultural.



Thercles Silva / Secom-PB
Thercles Silva / Secom-PB
Apresentação da Orquestra terá regência do maestro Luiz Carlos Durier

O 11º Concerto Oficial da Temporada 2016 da Orquestra Sinfônica da Paraíba acontece nesta quinta-feira (1º), às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, na Fundação Espaço Cultural (Funesc). A apresentação terá regência do maestro Luiz Carlos Durier e a participação dos violinistas paraibanos Thiago Formiga e Rodrigo Eloy como solistas no concerto para dois violinos, de Bach. Os ingressos custam R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia).

O concerto abre com a música “Elegia” de Henrique Oswald (1853-1931), compositor brasileiro do século XIX, que estudou na Europa patrocinado pelo imperador D. Pedro II. O maestro Luiz Carlos Durier explica que a obra foi escrita originalmente para violoncelo e posteriormente orquestrada pelo autor para uma versão sinfônica. “O estilo canção está presente na obra, que obteve grande sucesso desde a sua primeira audição”, destaca Durier.

Em seguida, os músicos da OSPB vão executar o “Concerto para Dois Violinos em Ré Menor, BWV 1043”, de Johann Sebastian Bach (1685-1750), com os solistas Thiago Formiga e Rodrigo Eloy. Essa é talvez uma das obras mais famosas e reconhecidas do compositor alemão e é considerada uma das obras-primas do barroco. O concerto é caracterizado pela relação entre os dois solistas de violino, que é mais perceptível no movimento mais famoso, o expressivo Largo ma non tanto.

Depois do intervalo, será a vez da “Sinfonia n. 8, em si menor – Inacabada”, de Franz Schubert (1793-1828), austríaco considerado um dos maiores compositores do século 19, marcando a passagem do estilo clássico para o estilo romântico. A Sinfonia Inacabada, uma das mais tocadas no mundo, foi composta em 1822, mas descoberta vários anos após a morte do compositor. O nome Inacabada ou Inconclusa deve-se a ter apenas dois andamentos, embora nada demonstre que Schubert pensasse em fazer mais para completar a obra.

O jovem violinista Rodrigo Eloy ressalta que é sempre um prazer poder tocar com a Orquestra Sinfônica da Paraíba, onde iniciou suas atividades, primeiro na Orquestra Jovem, passando depois para a profissional. “Como paraibano tenho uma ligação forte com a orquestra e com certeza será um excelente concerto. Esperamos que tenha casa cheia para podermos fazer uma boa música”, completou.