Cultura

As últimas tentativas do Brasil para conquistar um lugar no Oscar

Últimas indicações nacionais não conseguiram uma vaga na premiação.



Foi divulgada na última segunda-feira (5) a lista com os filmes brasileiros pré-selecionados para representar o país no Oscar 2017. 'Aquarius', de Kleber Mendonça Filho, compete com outros 15 filmes é considerado por muitos o favorito para conquistar a indicação na categoria Melhor Filme Estrangeiro dos membros da Academia de Hollywood. O Brasil não garante uma vaga entre os cinco indicados na categoria desde 1999, quando 'Central do Brasil' concorreu na 71ª edição do prêmio.

Nos últimos anos, os filmes indicados pelo Ministério da Cultura para concorrer à lista final de indicados revelam desde comentários sobre o cotidiano da classe média do país até preocupações com questões sociais como o preconceito e a violência. Confira os últimos filmes brasileiros selecionados para representar o país na premiação mais conhecida do cinema mundial.

2016 - 'Que horas ela volta?'

O filme de Anna Muylaert foi considerado por muitos críticos como a melhor chance do Brasil no Oscar em muitos anos. A história da empregada doméstica Val (Regina Casé) revelou para muitos um país que ainda luta para se livrar da sombra da escravidão e se debate diante de questões como preconceitos sociais.

2015 - 'Hoje eu quero voltar o sozinho'

Baseado em um premiado curta metragem, o filme de Daniel Ribeiro conquistou o público ao contar a história de dois garotos e a descoberta de sua homossexualidade. A obra recebeu elogios mais por sua abordagem terna e envolvente - e um tanto utópica - de um assunto ainda tabu na sociedade brasileira do que pelo roteiro ou qualidade técnica.

2014 - 'O som ao redor'

Longa de estreia do diretor de 'Aquarius', 'O som ao redor' lança um olhar sobre a classe média do Recife e como problemas sociais, como a violência, podem impactar o cotidiano das pessoas. O filme impressiona (e incomoda) por expor sem rodeios questões próximas ao espectador, provocando uma identificação imediata.

2013 - 'O palhaço'

Escrito e estrelado por Selton Mello, a história de um palhaço em crise foi elogiada pela crítica por suas qualidades técnicas e pelo mergulho que provoca na conturbada natureza humana.

2012 - 'Tropa de Elite 2: o inimigo agora é outro'

Sucessor do polêmico 'Tropa de Elite', a sequência de José Padilha foi lançada como uma resposta à recepção obtida pelo primeiro filme. Como seu antecessor, 'Tropa de Elite 2' questiona e expõe a realidade do tráfico de drogas e da violência policial nas favelas cariocas, retratando a corrupção dentro da própria polícia e do governo.