Cultura

Sinfônica Jovem executa peças de Schubert em concerto gratuito

Compositor austríaco é considerado um dos maiores compositores do século 19.



Composições de Franz Schubert, Gustav Holst e Jean Sibelius integram o programa do 6º Concerto Oficial da Orquestra Sinfônica da Paraíba, nesta quinta-feira (8), às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, em João Pessoa, com regência do maestro titular, Luiz Carlos Durier. Os músicos Vanessa Ferraz e Lucas França são os solistas desta apresentação. A entrada é gratuita.

O concerto inicia com a execução da “Abertura em Estilo Indiano, D590”, de Franz Schubert, compositor austríaco que escreveu cerca de 600 canções, além de óperas, sinfonias e sonatas, entre outros trabalhos, e é considerado um dos maiores compositores do século 19, marcando a passagem do estilo clássico para o estilo romântico.

Em seguida, será executada “Fugal Concerto, Op. 40. Nº 2”, de Gustav Holst, com a participação da flautista Vanessa Ferraz e do clarinetista Lucas França. Gustav Theodore Holst foi um compositor inglês, arranjador e professor. Conhecido pelo seu trabalho orquestral, a suíte The Planets, compôs várias obras de diversos gêneros.

Após o intervalo, a orquestra volta para executar a “Abertura Karélia, Op. 10”, de Jean Sibelius, um dos mais famosos compositores escandinavos, cuja obra pode ser considerada a transição entre o romantismo e as novas tendências. Depois será a vez de “Sevilhana – Cena Espanhola”, do inglês Edward Elgar, que tem entre as suas composições mais conhecidas trabalhos orquestrais como Variações Enigma e a série Marchas de Pompa e Circunstância.

A “Seleção Capiba”, do maestro Duda, vem em seguida. O pernambucano de Goiana José Ursicino da Silva, o Maestro Duda ou mestre Duda, é um dos maiores regentes, compositores, arranjadores e instrumentistas do frevo em especial, dono de uma carreira repleta de sucessos e de grandes parcerias.

A Orquestra Jovem encerra o concerto com a execução de “Danzon nº 2”, de Arturo Marquéz, compositor mexicano reconhecido por usar formas mexicanas e estilos musicais em suas composições.

Os solistas

Vanessa Ferraz (flauta) – Iniciou seus estudos aos 11 anos de idade, sob a orientação da professora Mabel Hipólito, na Escola Estadual de Música Anthenor Navarro (EEMAN). No mesmo ano, ingressou na Orquestra Infantil do Estado da Paraíba, com regência de Norma Romano, permanecendo até 2002. Em 2001, ingressou no curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com o professor Gustavo de Paco, ano em que ingressou também na Camerata Izabel Burity, regida por Norma Romano.

Participou do Festival Eleazar de Carvalho (Fortaleza-CE) em 2004, onde teve aulas com a flautista Milena Péric (EUA) e o regente Sandoval Moreno. Em 2005, participou do Festival Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília (Civebra), onde teve aulas com os flautistas Marcelo Barboza e Sérgio Barrenechea.

Ingressou na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e na Orquestra Juvenil da UFPB em 2006, sob a batuta do maestro Luiz Carlos Durier e do professor Geraldo Rocha, respectivamente, onde apresentou-se com grandes nomes da música como: Tico Santa Cruz, Zélia Duncan, Zé Ramalho, Lucy Alves, Toninho Ferragutti, Waldonys e Dominguinhos.

Em 2008, ingressou como professora de flauta doce no Peti Conde-PB e no ano seguinte, na Escola de Artes do Núcleo de Cultura de Conde, ministrando aulas de flauta doce, flauta transversal, teoria e iniciação musical. Em setembro de 2012, ingressou como professora de Flauta transversal, flauta doce e musicalização inclusiva na Escola de Música Juliana Mendonça.

Atualmente, é primeira flauta da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) e concluinte do bacharelado em música (Práticas Interpretativas) com habilitação em Flauta Transversal pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Lucas França (clarinete) – Natural de Patos (PB), iniciou seus estudos musicais em 2008, incentivado pelo seu pai Luiz Rufino de França e seu irmão Adnilton Soares de França (in memoriam), aos 17 anos de idade na Escola de Música Francisco Noberto da Silva (Assis Casca de Bala). Estudou teoria musical e solfejo sob a orientação do professor José Elton.

Em seguida, deu início ao estudo autodidata do clarinete e passou a ocupar o cargo de primeiro clarinete na Filarmônica 26 de Julho, sob a direção do maestro Marklean Pereira. Ainda em sua cidade natal, foi professor da Escola de Música Francisco Noberto da Silva e atuou como clarinetista do Grupo de Choro de Patos.

Em 2009 mudou-se para João Pessoa para ocupar o cargo de segundo clarinete e clarone da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, sob a direção do maestro Luiz Carlos Durier e, em seguida, iniciou o curso de Licenciatura em Música em Práticas Interpretativas, com habilitação em Clarinete da UFPB, na classe do professor Me. José de Arimatéia.

Desde então, participa da Banda Sinfônica José Siqueira como primeiro clarinete, sob a regência do maestro Sandoval Moreno; primeiro clarinete da Orquestra Sinfônica Jovem da UFPB, sob a direção do maestro Geraldo Rocha; claronista do Grupo de Clarinetes da UFPB, sob a regência do professor José de Arimatéia; clarinetista do grupo de choro ChorAmigo, grupo Casa d’Mãe Joana e grupo Officina do Choro, OCG – Orquestra de Campina Grande (outrora Sivuca – Orquestra Sinfônica de Campina Grande).

Foi clarinetista e claronista convidado da OSPB e da OSMJP, primeiro clarinete da Banda Sinfônica Municipal de João Pessoa e finalista da etapa regional no Nordeste do II concurso Devon e Burgani, realizado em Natal (RN). Lucas França foi artista convidado no I Festival Nacional de Taquaritinga do Norte – Taquara Music, realizado em Taquaritinga do Norte (PE), e artista convidado do I Encontro Paraibano de Clarinetistas, realizado em João Pessoa.

Participou de master classes com clarinetistas como David Odon (Auburn/EUA), Yuan Gao (China), Luís Antônio Eugênio Afonso “Montanha” (Brasil), Joel Barbosa (Bahia), Mariano Rey (Argentina), Marcus Julius (Brasil), Jorge Montilla (Venezuela), workshop de improvisação livre com Thomas Roheder (Sax – Brasil-Suíça) e Hans Koch (Clarone – Suíça).

Participou do I Encontro Paraibano de Clarinetistas em João Pessoa, VI Festival Internacional de Música de Campina Grande, Goiana Expo-Music Festival, Música e Performance da UFPB e Festival Painéis Funarte de Bandas de Música, entre outros.

Participou de shows, concertos, gravações de CDs e DVDs com grupos, maestros e artistas, com destaque para Dominguinhos, Genival Lacerda, Flávio José, Toninho Ferragutti, Waldonys, Charles Schulueter, Maestro Duda, Wagner Tiso e Zé Ramalho. Atualmente é chefe de naipe da Banda Municipal 5 de Agosto, sob a direção dos maestros Adelson Machado e Rogério Borges, e claronista da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, sob a direção do maestro Luiz Carlos Durier.

O regente

Natural de João Pessoa (PB), Luiz Carlos Durier é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 17 anos. Seu trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. As suas interpretações cativantes e criativas produzem sempre sucesso de público e crítica. Sob sua batuta já se tornou tradição a Jovem apresentar estreias mundiais com excelente qualidade técnica e artística. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB).

Na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), concluiu o ensino superior de música nos cursos de Licenciatura e Bacharelado. Desde que chegou à Escola Estadual de Música Anthenor Navarro (EEMAN), em 1991, lidera atividades de educação musical ensinando: Musicalização, Viola, Música de Câmara e Regência. Participou das XIX e XX Semana da Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) como professor da classe de regência. Na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está realizando o Curso de Especiação Em Fundamentos da Educação – Práticas Pedagógicas Interdisciplinares.

Como regente convidado conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. Na sua formação como regente foi aluno de Wolfgang Groth, Nelson Nuremberg e Guilhermo Scarabino. Desde 2005 estuda com o maestro Osvaldo Ferreira. Participou de Master Class com os maestros Kurt Masur e, recentemente, com Dante Anzolini. Ainda teve como mestres o maestro José Siqueira, José Alberto Kaplan, Iara Bernette, Violeta de Gainza, Guilhermo Campos e Horácio Schafer. No ano de 2012 recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo brilhante desempenho profissional frente a OSPB.

Conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marinês e sua Gente, do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Tem acompanhado com frequência, artistas populares com a OSPB e OSJPB em grandes concertos populares, tais como: Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan, sempre com grande sucesso de público e crítica.

No dia 5 de agosto deste ano, Durier regeu as duas orquestras paraibanas no concerto com o cantor e compositor Zé Ramalho, comemorativo aos 431 anos da cidade de João Pessoa. A apresentação lotou o Teatro Pedra do Reino, do Centro de Convenções de João Pessoa.

Serviço:
6º Concerto Oficial da Orquestra Sinfônica da Paraíba
Data: Quinta-feira (08/09/16)
Hora: 20h30
Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural
Regente: Luiz Carlos Durier
Solistas: Vanessa Ferraz (flauta) e Lucas França (clarinete)
Entrada: gratuita

Programa:
- “Abertura em Estilo Italiano, D590”, Franz Schubert
- “Fugal Concerto, Op. 40 n° 2”, Gustav Holst
- “Abertura Karélia, Op. 10”, Jean Sibelius
- “Sevilhana - Cena Espanhola”, Edward Elgar
- “Seleção Capiba” – Maestro Duda
- “Danzon n° 2” – Arturo Marquéz