Cultura

Peça "Os Homens do Triângulo Rosa" é apresentada em João Pessoa

Sessões acontecem no Teatro Paulo Pontes, às 20h, a preços populares.



Divulgação
Divulgação
Montagem traz uma história impactante, mas pouco conhecidas da Segunda Guerra Mundial

Nesta quinta (21) e sexta-feira (22), a Cia Teatro ao Quadrado, de Porto Alegre (RS) vai apresentar em João Pessoa o espetáculo teatral "Os Homens do Triângulo Rosa", a mais recente montagem do grupo. As sessões acontecem no Teatro Paulo Pontes, às 20h, com ingressos a preços populares, R$ 10 e R$ 20, tradução para LIBRAS e debate após as apresentações sobre homofobia, intolerância e o processo de pesquisa que deu origem ao espetáculo.

A peça integra o projeto 'Os Homens do Triângulo Rosa – Circulação', financiado pela Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, e patrocínio da Petrobras, que além de passar por João Pessoa, iniciou as ações em Maceió, no estado de Alagoas.

A montagem traz uma história impactante, mas pouco conhecidas da Segunda Guerra Mundial: a perseguição aos homossexuais pelo regime nazista, na Alemanha das décadas de 1930 e 1940. Triângulo rosa era a forma como eram chamados os prisioneiros homossexuais dos campos de concentração, porque levavam em seus uniformes a insígnia que os discriminava, considerados inferiores a todos os outros prisioneiros, como judeus, ciganos e criminosos comuns.

A peça conta a história de homens que sofreram com a brutalidade daqueles tempos, mas que encontraram, mesmo em condições terríveis, um lugar para o amor. Um espetáculo de grande força e contundência dramática, mas que abre espaço para a poesia e a esperança.

A Cia Teatro ao Quadrado, em atividade desde 2002, tem como principais características de suas encenações a investigação dramatúrgica e a ênfase no trabalho do ator. Mantém uma produção ininterrupta em artes cênicas na cidade de Porto Alegre, tendo em seu histórico mais de dez montagens e treze prêmios.

Os Homens do Triângulo Rosa conquistou o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz para sua montagem, o Prêmio Braskem em Cena de melhor ator (Marcelo Ádams), o Prêmio Açorianos de melhor ator coadjuvante (Frederico Vasques) e o Prêmio Cena Inesquecível, oferecido pela Escola de Espectadores de Porto Alegre.