Cultura

Paraibanas lançam projeto para elevar inserção feminina no hip hop

Projeto conta apenas com composições autorais sobre liberdade feminina.



Divulgação
Divulgação
Nome do projeto faz alusão a uma peça íntima, e de acordo com as idealizadoras, remete à motivação feminina

Fortalecer, potencializar e ampliar a visibilidade da produção feminina do hip hop no Estado. Esse é o objetivo do projeto "Sinta a Liga", cujo nome faz alusão a uma peça íntima do vestuário feminino, que, segundo as idealizadoras, também serve para significar a motivação feminina.

O projeto é formado pelas rappers e ativistas culturais, Camila Rocha, Julyana Terto e Kalyne Lima, ambas do grupo AfroNordestinas e Preta Lange, acompanhadas pela DJ Isa Queiroz, a grafiteira Priscila Lima (Witch) e a dançarina Giordana Leite.

“Inicialmente o Sinta a Liga surgiu como um coletivo feminista de mulheres artistas e produtoras, a fim de promover eventos que tinham como protagonistas, as mulheres. Depois, resolvemos juntar nossos talentos e assumir o palco para mostrar todo o potencial das nossas produções”, afirmou uma das integrantes do projeto, Camila Rocha.

As composições são todas autorais, e reúnem produções individuais e coletivas. O teor das músicas é uma celebração ao poder feminino, a liberdade, a sororidade. Músicas dançantes reúnem estilos como rap, dance hall, reggae, ragatom e ainda pitadas de samba e MPB. O show também conta com performances de dança e execução de graffiti ao vivo.