Cultura

Sinfônica Municipal executa concerto dedicado a Alberto Nepomuceno

Apresentação será no Auditório Celso Furtado do Centro Cultural Ariano Suassuna.



Divulgação
Divulgação
Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa realiza apresentação na capital

“Pai” do Nacionalismo na música erudita brasileira, Alberto Nepomuceno (1864-1920) volta a ser celebrado pela Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa no 5º Concerto Oficial da Temporada 2016, o segundo dedicado ao compositor cearense. A apresentação está agendada para este sábado (2), às 18h, no Auditório Celso Furtado do Centro Cultural Ariano Suassuna, localizado na sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), em Jaguaribe. A entrada é gratuita.

Sob a regência do maestro-titular Laércio Diniz, a Sinfônica municipal irá executar três grandes obras: ‘Batuque’, de Nepomuceno; ‘Fantasia concertante para viola e contrabaixo', de Karl Ditters von Dittersdorf (1739-1799), e 'Sinfonia n. 3 em Fá Maior Op. 90', de Johannes Brahms (1833-1897).

Escrita por Nepomuceno durante a temporada do brasileiro na Alemanha, ‘Batuque’ (inicialmente chamada de ‘Dança dos negros’) é, segundo Laércio Diniz, uma das peças mais representativas e populares da carreira do compositor cearense.

“A peça adquiriu notoriedade separadamente da ‘suíte’ (ela integra a ‘Série Brasileira’) e influenciou o aparecimento de outros tantos ‘Batuques’ que fazem parte do repertório sinfônico e instrumental brasileiro. Defensor da incorporação de elementos brasileiros à música de concerto, na ocasião Alberto Nepomuceno uniu o popular reco-reco à percussão orquestral em caráter inédito”, ensina o maestro.

A ‘Fantasia concertante’ do austríaco Dittersdorf terá a participação mais que especial de dois solistas, os jovens paraibanos Daniel Pinna (contrabaixo) e Daniel Espinoza (viola).

O contrabaixista Pinna, vencedor do prêmio ‘Jovens Solistas’, desenvolve sua carreira entre a Paraíba e os Estados Unidos, onde chegou a participar de orquestras como a Southern California Orchestra, Pasadena Symphony e LA Virtuosi. Ainda nos EUA, integrou a orquestra que executou a estreia de ‘Sinfonietta per Sofia’, em homenagem à lendária atriz Sophia Loren.

Já Espinoza é Primeira Viola do Quarteto de Violas da UFPB, assistente de Primeira Viola da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa, violista da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e professor de viola no projeto Ação Social pela Música do Brasil.

O programa termina ao som da ‘Terceira sinfonia’ de Brahms. “Planejada desde 1880 e completada em 1883 durante o verão passado em Wiesbaden, é uma sinfonia muito avançada em termos de forma e conteúdo”, ensina Diniz. “Influenciada por Beethoven e Schumann, esta obra foi apresentada em Viena no dia 2 de dezembro de 1883, sob a direção do Maestro Hans Richter, que a nomeou de ‘Heróica’, especialmente por causa do primeiro movimento”.