Cultura

Primeira noite do 'São João Pra Valer 2016' tem show de Sirano e Sirino

Evento promovido pela prefeitura de João Pessoa acontece no Ponto de Cem Réis.



Um repertório consagrado por 20 anos de estrada, letras bem-humoradas e remelexo para não deixar ninguém parado sustentam a fórmula da dupla Sirano e Sirino, principal atração da primeira noite do ‘São João Pra Valer 2016’, realizado pela prefeitura de João Pessoa nesta quinta-feira (23).

Em duas noites – quinta e sexta – quatro shows animam o público pessoense no Ponto de Cem Réis, entre 20h e 00h30, aproximadamente. Quem abre a primeira noite para a dupla cearense é o sanfoneiro Mô Lima e sua banda, Xote Arretado. Filho do lendário Pinto do Acordeon, Mô Lima tem no repertório, hits e clássicos juninos para aquecer a véspera do São João.

Com duas décadas de carreira, a dupla cearense coleciona sucessos que atraem público certo aos seus shows. Entre eles estão ‘Casa, Separa, ‘Só no Nane Nane’, ‘Amor na Rede’, ‘Cabra Namorador’ e ‘Dois Amores’.

Forró de raiz

Na sexta-feira (24), outro cearense é destaque na programação do São João Pra Valer 2016. Santanna, o Cantador, semeia o autêntico forró de raiz no Ponto de Cem Réis, através de repertório cristalizado ao longo de quase 25 anos de carreira.

A carreira de Santanna deslanchou pra valer em 2001, quando lançou o ‘Xote Pé de Serra’. Com produção assinada por Robertinho do Recife, o disco tinha seu repertório inteiro formado por xotes irresistíveis, gravados do jeito que Seu Luiz Gonzaga ensinou: sanfona, zabumba e gonguê.

O resultado foi um estouro embalado por hits como ‘Tamborete de Forró’, de Artúlio Reis, ‘Ana Maria’, de Jandhuy Finizola, e ‘A Natureza das Coisas’ – a famosa ‘Se avexe não’ – , de Accioly Neto.

Na sexta-feira, a atração local que abre a noite é o Forró Caçuá, dos filhos de Patos e Conceição do Piancó, irmãos de Pinto do Acordeon. Com dez anos de carreira, eles sobem ao palco com repertório que vai de canções autorais – vide ‘Forró de Primeira’ (Batista Moreno), ‘Suspirando de Paixão’ (Zé Moreno) e ‘Os Quatro Elementos’ (Duda Barbosa) – e clássicos juninos.