Cultura

Paraíba tem dívida com Sivuca: construir o memorial do artista

Projeto não é novo: passou pelo Ministério da Cultura no governo Lula. Acervo com centenas de itens está com a viúva do músico, Glória Gadelha.  



Divulgação/André Cananea
Divulgação/André Cananea
Última grande entrevista de Sivuca foi gravada duas semanas antes da sua morte, em 2006

Se estivesse vivo, Sivuca faria aniversário neste 26 de maio. Em dezembro, fará uma década da sua morte. Datas a lembrar que a Paraíba tem uma dívida com o grande músico: a construção do Memorial Sivuca.

A crise brasileira pode tornar inoportuno o debate, mas o projeto não é novo. Passou pelo Ministério da Cultura quando o presidente era Lula. Passou pelo governo do estado quando o governador era José Maranhão, e o vice, Luciano Cartaxo. Mais tarde, chegou à UFPB.

O acervo está com a viúva de Sivuca, Glorinha Gadelha, no apartamento onde entrevistei o músico poucos dias antes da sua morte. É precioso. São instrumentos, discos, roupas, objetos pessoais, fotos, vídeos, partituras, correspondência - centenas de itens que, reunidos num espaço adequado, comporiam significativo retrato de um artista que projetou internacionalmente a Paraíba e o Brasil.

As datas avivam nossa memória. E sugerem a pergunta: quando, onde e por quem será, afinal, construído o Memorial Sivuca?