Cultura

Espetáculo infantil conta a história de Jack, o jacaré do Açude Velho

Peça sobre o jacaré mais famoso de Campina Grande tem entrada frança no Severino Cabral neste domingo (5).



Um dos personagens mais marcantes do imaginário campinense: o jacaré do Açude Velho é o personagem central de um espetáculo que será apresentado neste domingo (5) no Teatro Severino Cabral, em Campina Grande. A entrada para Jack, o jacaré do açude velho é franca.

Jack conta a história de Duda que, como todo menino de sua idade, movido pela curiosidade e espírito de aventura, propõe realizar como trabalho de biologia uma expedição ao Açude Velho. Objetivo: comprovar a existência do famoso jacaré que, segundo a imprensa e muitos campinenses, habita o antigo reservatório, embora ele jamais o tenha visto com seus próprios olhos.

A princípio motivo de piadas, o menino segue com seu projeto e acaba encontrando outro garoto de sua idade, Deda, que sobrevive dos peixes tirados das águas poluídas do Açude Velho. Duda convence Deda a ajuda-lo na expedição, sendo seu guia e locador de uma canoa que percorrerá o açude em busca de algum sinal de Jack.

Nessa jornada, alguns personagens orientam a dupla de meninos na expedição exploratória. Assim, eles encontram Soró, um socó malandro que divide os peixinhos do manancial com dona Graça, uma garça elegante e temperamental e também com as Piabas Paraibanas, um trio de forró formado por três piabas oriundas de diferentes açudes do estado. Elas formam um trio de forró que acompanha Jack em performances no sangradouro do açude.

Próximo ao final do trabalho de pesquisa, Deda e Duda ainda encontram o Rei Sapo e sua corte, formada pela rainha Sapa, o cágado Cacá e o caramujo Rubinho, que são guardas do rei e ainda a sereia do açude, um ser que encanta as pessoas, influenciando-as a jogar sujeira nas suas águas.

“Jack, na verdade, traz como pano de fundo temas ambientais como a preservação do Açude Velho, ainda poluído, e a manutenção da fauna do manancial, hoje com espécies que até há algum tempo não existiam por lá como as garças e o próprio jacaré”, explica o autor Saulo Queiroz.

Essa é a segunda vez que Saulo Queiroz escreve para o público infanto-juvenil. A primeira foi em 1999 com A Revolta dos Vilões, um espetáculo que narrava um motim dos vilões das histórias infantis, cansados de desempenhar os mesmos papéis de malvados por séculos. Essa peça foi adaptada recentemente para o alemão e teve sua montagem lançada na cidade de Neuss na Alemanha.

Serviço
Jack, o jacaré do Açude Velho (espetáculo teatral)
Quando: estreia dia 5 de junho, às 16h
Onde: Teatro Municipal Severino Cabral
Quanto: Entrada franca