Cultura

Ney Matogrosso faz show na capital; veja os melhores discos do cantor

O JORNAL DA PARAÍBA sugere para você ouvir (e reouvir) alguns títulos que se destacam na extensa discografia do artista.  



Ney Matogrosso se apresenta neste sábado (7) em João Pessoa. Ele faz o show “Atento aos Sinais” no Teatro Pedro do Reino, do Centro de Convenções, às 21h30. O espetáculo já passou por aqui, na Domus Hall, em 2014. O repertório é baseado no último disco do artista, lançado em 2013.

O JORNAL DA PARAÍBA escolheu cinco discos da carreira de Ney Matogrosso para você, que vai ver o show, “entrar no clima”.

SECOS E MOLHADOS – Lançado em 1973, é o primeiro dos dois discos do grupo que deu dimensão nacional a Ney Matogrosso. Tudo era ousadia nos Secos e Molhados num momento em que o Brasil vivia sob a ditadura militar. “Sangue Latino” e “O Vira” fizeram muito sucesso na época. Os versos de Vinícius de Moraes foram musicados em “Rosa de Hiroshima”.

 

 

 

 ÁGUA DO CÉU PÁSSARO – Primeiro título da discografia solo de Ney. Lançado em 1975, é considerado um dos seus melhores discos. No repertório, “Homem de Neanderthal”, “O Corsário”, “Bodas”, “Açúcar Candy” e “América do Sul”. Na época, não obteve grande sucesso comercial, mas conquistou os ouvintes pela qualidade do canto, dos arranjos e do repertório.

 

 

 

NEY MATOGROSO – O disco de 1981 foi, comercialmente, um dos mais bem sucedidos da carreira de Ney. Como consequência, o artista saiu em turnê, reunindo multidões em seus shows. O maior sucesso do repertório foi “Homem com H”, do paraibano Antônio Barros. Mas tem também “Deixa a Menina”, “Viajante” e “Folia no Matagal”. Em “Espinha de Bacalhau”, Ney dá voz ao chorinho clássico de Severino Araújo.

 

 

 

PESCADOR DE PÉROLAS – De 1987. Um Ney Matogrosso diferente, clássico, contido no palco, rodeado por grandes instrumentistas (Arthur Moreira Lima, Paulo Moura, Raphael Rabello) num recital acústico. O repertório traz Dorival Caymmi (“Dora”), Ary Barroso (“Aquarela do Brasil”) e Cartola (“O Mundo É um Moinho”). Tem ainda clássicos do cancioneiro de língua espanhola, como “Besame Mucho”.

 

 

NEY MATOGROSO INTERPRETA CARTOLA – De 2002. Ney se debruça sobre o repertório de um dos grandes nomes do samba. Empresta sua voz às canções de Cartola com muita fidelidade ao universo musical e poético do mestre mangueirense. Tudo é clássico no repertório de 12 faixas. Mais tarde ampliado, foi levado ao palco e se transformou num outro disco, desta vez ao vivo.