Cultura

Zé Renato chega aos 60 anos e comemora com quatro discos

Box traz discos de carreira e coletâneas com raridades. Ex-integrante do Boca Livre fez carreira solo a partir do início da década de 1980. 



Reprodução
Reprodução

Um box já disponível no mercado com quatro CDs comemora os 60 anos do cantor e compositor Zé Renato. São dois discos de carreira e duas coletâneas de raridades encaixotados no box “Zé Renato, Anos 80” pelo produtor e pesquisador Marcelo Fróes, através do selo Discobertas.

Zé Renato ficou conhecido no final da década de 1970 como integrante do quarteto vocal Boca Livre. Antes, passara pelo Cantares. No início da década seguinte, trocou o trabalho em grupo pela carreira solo. São desse período os CDs “Fonte da Vida” (1982) e “Luz e Mistério” (1984), nos quais o autor se sobrepõe ao intérprete em discos que não escapam da sonoridade pasteurizada tão em voga naquela época.

O intérprete olha para o passado, como no clássico “A Saudade Mata a Gente”, e também para canções então recentes, como “Coração Civil”, do repertório de Milton Nascimento, e “Luz e Mistério”, única parceria de Caetano Veloso com Beto Guedes.

As raridades

O melhor da caixa está nos dois discos de raridades. Lá estão as quatro músicas que Zé Renato gravou com o grupo Cantares, editadas originalmente num compacto. Uma delas é “Toada (Na Direção do Dia)”, que ficaria conhecida no registro feito mais tarde pelo Boca Livre.

Também estão numa das coletâneas as duas participações de Zé Renato na trilha da série da Rede Globo “O Tempo e o Vento”: “Rodrigo, Meu Capitão” e “Senhora Dona Bibiana” são parcerias de Antônio Carlos Jobim com Ronaldo Bastos. Em “Papo de Passarim”, Zé Renato se encontra com o grupo vocal MPB-4.

Outros destaques das coletâneas de raridades são “Salmo”, de Edu Lobo e Chico Buarque, “Gente Humilde”, de Garoto, Chico e Vinícius de Moraes, e o samba “Exaltação à Mangueira”.