Cultura

Restauradas, imagens do Canal 100 dão origem a documentários

Exibido entre as décadas de 1950 e 1980, o cinejornal mostrou os principais acontecimentos do esporte no Brasil, sobretudo o futebol. 



Reprodução
Reprodução
O Canal 100 era exibido em todos os cinemas brasileiros com destaque para o futebol

A Petrobras patrocinou a digitalização e a restauração de imagens de grandes lances do futebol brasileiro e outros esportes veiculadas nos cinema do Brasil de 1959 a 1986, no cinejornal Canal 100. As imagens, registradas em película, acrescidas de depoimentos atuais, viraram dez documentários de 22 minutos para exibição em canais fechados de televisão.

Foram mais de dois anos de pesquisas e três de produção que culminaram na captação de depoimentos de 20 ídolos do esporte. Entre eles, Rivellino, Carlos Alberto Torres, Jairzinho, Tostão, Falcão e Zico. Pelé ganhou uma homenagem especial, um filme que conta a espera pelo milésimo gol do jogador com testemunhos que revelam curiosidades sobre esse marco do futebol brasileiro.

Os pilotos do automobilismo Wilson e Emerson Fittipaldi também participam dos documentários, em cenas e depoimentos sobre circuitos de rua realizados no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Os documentários

Os documentários são, entre outros, “Reviva a Espera do Milésimo”, sobre toda a expectativa em torno do milésimo gol de Pelé; “Reviva o Fla Flu Épico”, sobre o famoso jogo entre Flamengo e Fluminense que, em 1963, reuniu o maior público da história do futebol no Brasil (177 mil pagantes), e “Reviva as Feras do Saldanha”, sobre o time de ases montado pelo ex-jogador do Botafogo, técnico da seleção brasileira, escritor e jornalista João Saldanha, para disputar a Copa do Mundo de 1970.

Após a exibição nos canais fechados de televisão, os documentários, idealizados por Alexandre Niemeyer, filho do criador do Canal 100, Carlos Niemeyer, serão disseminados em outras mídias. A ideia é apresentá-los nos cinemas, antes dos filmes em cartaz, e em monitores dispostos em locais ao ar livre; em pontos de venda, como lojas e shopping centers.

“Um acervo cinematográfico de tal relevância para o esporte brasileiro precisa ser acessível à população. A Petrobras tem tudo a ver com esse projeto que resgata uma época de ouro do esporte no Brasil e seus heróis, verdadeiro patrimônio nacional, e o devolve aos brasileiros”, disse o gerente setorial de Patrocínio Cultural da Petrobras, Luis Fernando Lima de Brito.