Cultura

Peça 'De João para João' estreia nesta sexta-feira em Guarabira

Tarcísio Pereira conta a 'crônica de uma morte anunciada ' no espetáculo que estreia no Teatro Geraldo Alverga.



Divulgação
Divulgação
Peça estrelada por Pereira (sentado) e Flávio Melo (em pé) seguirá para Campina Grande, Patos, Bananeiras e Pombal

Confeitaria Glória, Recife (PE), 26 de julho de 1930. Antes do estopim da revolução, cuspia fogo a arma do advogado e jornalista João Dantas, cuja bala singrava no ambiente para encontrar o corpo do governador paraibano João Pessoa.

Deixando de lado o velho clichê que a vida passa pelos seus olhos como um filme, o milésimo de segundo da trajetória da bala é interrompida para que os dois antagonistas parem nos palcos da peça De João para João, escrita e dirigida por Tarcísio Pereira. 

O espetáculo de estreia será apresentado hoje e amanhã, sempre às 20h, no Teatro Geraldo Alverga, em Guarabira, no Agreste paraibano. Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).
A montagem tem como ponto de partida a carta de João Dantas endereçada a João Pessoa que foi publicada num jornal pernambucano.

“É o ponto de partida para criar um diálogo entre os dois”, aponta o diretor e dramaturgo, que faz o papel de João Pessoa, enquanto o ator Flávio Melo encarna o João Dantas. “A carta foi 'picotada' ao longo do espetáculo”, explica.

Segundo Pereira, a peça promove esse diálogo - que nunca existiu - numa espécie de limbo, mas é totalmente baseada numa pesquisa minuciosa da trajetória de João Pessoa.

Um dos pontos exemplificados pelo dramaturgo é a acusação de Dantas sobre o político tentar matar o próprio pai. Tarcísio Pereira conta que a origem partiu de outra carta que contava os podres familiares, assinada por um primo que estava intrigado.

“A única dúvida que não descobri a resposta foi um dos apelidos de João Pessoa que João Dantas colocou na carta: João Guitarra”.

O diretor revela que, inicialmente, o espetáculo seria um monólogo da famosa e longa carta, mas a montagem ficaria muito tensa, pesada e violenta devido ao seu conteúdo, apontada como premeditação para o crime, a "crônica de uma morte anunciada", citando a obra do Nobel colombiano Gabriel García Márquez.

“Temos a discussão sobre a força do poder da mídia, que destrói vidas”, analisa Pereira. “Uma guerra entre mídias como a que acontece hoje”.

Depois de Guarabira, De João para João será apresentada nos dias 5 e 6, às 20h, no Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande. As entradas vão custar R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Ainda este mês, a peça seguirá para Patos, Bananeiras e Pombal.