Cultura

Tintin Cineclube apresenta curtas de animação feitos só por mulheres

Sessão faz parte das comemorações do Mês da Mulher. Entre os filmes que serão exibidos está o brasileiro 'Guida'



Imagens: divulgação
Imagens: divulgação

Um recorte da diversidade do universo feminino nas animações – tanto nas personagens quanto pelas mãos de animadoras que criam e conduzem – está presente na telona do Cine Bangüê do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa.

Serão quatro curtas-metragens nacionais e internacionais na sessão gratuita do Tintin Cineclube na programação do Mês da Mulher. As exibições acontecem nesta quarta-feira, a partir das 19h30.

Dentre elas está a produção brasileira Guida (2014), de Rosana Urbes. A protagonista do título é uma doce senhora que há 30 anos trabalha como arquivista no fórum da cidade. Ela tem sua rotina entediante modificada ao se deparar com um anúncio para aulas de modelo vivo em um centro cultural.

“É uma história que não se vê muito nas animações: uma senhora de 75 anos, uma mulher comum”, conta a diretora. “O entusiasmo fica por conta de contar uma história de heróis do dia a dia – de pessoas que não sabem que são heróis – e acabam construindo a história do país”.

Rosana Urbes revela que buscou inspiração em muitas mulheres ao seu redor e também de si própria. “São retratos das mulheres da minha história”, resume.

Com 20 anos na área da animação, Rosana aponta que o conceito visual do curta vem do desenvolvimento de modelo vivo oriundo das suas pesquisas, além de ser uma homenagem ao modelo vivo.

Além de Guida, a sessão terá The Me Bird (Brasil, 2013), de Maria Ilka Azêdo e Gabriel Kempers, onde uma bailarina luta em busca da liberdade, presa em uma prisão de papel; Tram (República Checa, 2012), de Michaela Pavlátová, sobre os delírios de uma maquinista; e o indicado ao Oscar When the Day Breaks (Canadá, 1999), de Amanda Forbis e Wendy Tilby, que mostra animais antropomórficos num cenário urbano.