Cultura

Leandro Lima no elenco da comédia nacional 'Solteira Quase Surtando'

Ator paraibano conta como foi fazer o papel de um homossexual no filme inédito que estreia ainda esse ano no Brasil.



Divulgação
Divulgação
Lima interpreta um homossexual, empresário do marketing, amigo da protagonista

O ator paraibano Leandro Lima faz a sua estreia em longas-metragens com a comédia Solteira Quase Surtando, que se encontra em pós-produção e tem previsão de lançamento ainda para este ano.

Dirigida por Caco Souza (de 400 contra 1 – A História do Comando Vermelho), o filme tem roteiro e atuação de Mina Nercessian, carioca radicada em Los Angeles (EUA) e filha de Stepan Nercessian, que também está no elenco.

A produção conta a história de Bia, uma mulher de 35 anos que só pensa em trabalho e acha que casamento é o túmulo dos sonhos e ambições profissionais de uma mulher. Mas suas convicções desabam quando descobre que está entrando numa menopausa precoce e tem apenas seis meses para encontrar um pai para seu futuro filho.

Conhecido no Brasil pelos papéis na Rede Globo – em novelas como Viver a Vida (2010), Passione (2011) e Insensato Coração (2012), além do seu trabalho como modelo – Lima interpreta um homossexual, empresário do marketing, que vai ajudar a protagonista para traçar uma estratégia de publicidade para que o homem ideal apareça na vida da personagem principal.

“Apesar de ser uma comédia, o filme trata de assuntos mais sérios. Meu personagem tem um relacionamento de cinco anos que esconde da família”, explica o ator, que queria justamente evitar uma eventual postura de galã no longa, recusando, de antemão, outro papel destinado a ele.

Um dos grandes desafios, segundo Leandro Lima, é sair dos estereótipos que o homossexual sofre geralmente nas comédias nacionais. “É meio preconceituoso ficar nos trejeitos. Um caminho comum que quis evitar, trabalhando com mais afinco. Esse papel foi enriquecedor e mudou a minha visão. Vi como é sofrida e difícil a vida deles”.

Sobre a graça do seu personagem, o ator paraibano fala que o humor é espontâneo e leve, quase que sem querer. “A melhor resposta é estar na cena e os câmeras não se seguravam pra rir”, revela.

Rodado todo no Rio de Janeiro, o paraibano conta que a direção de Caco Souza é de guerrilha. “Ele tem uma mente muito aberta. Quando vê que uma cena não sai, simplesmente ele mesmo coloca a câmera no ombro e sai filmando”.

Outro ponto de diferença em Solteira Quase Surtando é a fotografia do veterano Rodolfo Sanches (de clássicos do cinema nacional como Pixote - A Lei do Mais Fraco), com mais de 50 anos de ofício. “A fotografia não é a usual das comédias”, avisa o ator.

No elenco, além de Leandro Lima, Mina e Stepan Nercessian, encontram-se nomes como Tania Kalil, Letícia Birkheuer, Tuna Dwek, Dani Valente, Bruno Fagundes, Willian Vita, Babi Xavier, Rafael Infante e Lui Mendes.

“O Brasil está vivendo um grande momento no cinema com comédias sobre universo feminino. Acredito que a técnica de roteiro que aprendi em Hollywood misturada com o humor brasileiro vai gerar um filme com uma temática interessante e com muita risada”, prevê a roteirista e atriz Mina Nercessian.

Dando continuidade ao seu trabalho no cinema, em maio Leandro vai participar de um curta-metragem de Rafael Cabral ainda sem título que “mexe muito com o machismo e feminismo de uma forma mais subjetiva”.

Fora o curta, ainda há mais três roteiros que o ator paraibano está estudando.