Cultura

Filme produzido por agência da ONU na Paraíba vai ser lançado no Sertão

Lançamento de “Rita, Preta da Paraíba” vai acontecer em Santa Luzia.




Filme fala dos moradores do Quilombo do Talhado, local onde foi realizado o icônico ‘Aruanda’ (Foto: Reprodução)

Um documentário que conta a história de um grupo de mulheres do Quilombo do Talhado em Santa Luzia, interior do Paraíba, será lançado nesta seta-feira (11), em exibição para convidados em Santa Luzia. O filme é dirigido pelo jornalista paraibano Diovanne Filho e produzido pelo Programa Semear Internacional, do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e implementado no Brasil pelo Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA), agências ligadas a ONU que trabalham com o apoio a agricultura familiar em várias partes do mundo.

O curta-metragem de 22 minutos intitulado “Rita, Preta da Paraíba”, mostra como a atitude da louceira que dá nome a produção, Rita Preta, em busca de melhores condições de vida na cidade, mudou a vida de toda a comunidade. Com ela, várias outras famílias começaram a “descer” a Serra do talhado, deixando o quilombo quase deserto. Com depoimentos fortes, o filme mostra o processo de êxodo daquelas famílias e o nascimento do galpão das louceiras que até hoje mantém viva a arte das louças de barro na região.

“São histórias de pessoas que sofreram muito com a dureza da vida de tinham, e após a atitude de uma mulher, começaram a ver na arte das louças uma forma de manter viva uma tradição secular. O filme traz sem filtros o sofrimento de mulheres e homens que muitas vezes passavam fome e tinham apenas na venda das peças uma forma de conseguir se alimentar”, conta o diretor do filme, Diovanne Filho.

O Curta ainda mostra o nascimento da Associação, com a atuação de Maria do Céu, neta de Rita Preta, e como o apoio do FIDA, através do projeto Procase e do Governo do Estado na reforma do galpão e várias outras ações, fez com que a qualidade do trabalho do grupo melhorasse. A equipe do Semear Internacional permaneceu na cidade por seis dias, em visitas ao galpão onde as louceiras trabalham com o barro, a sede do quilombo, e colhendo depoimentos de algumas integrantes do grupo, bem como, familiares de Rita Preta.

“Rita, Preta da Paraíba” traz ainda traz referências de uma outra produção já feita no Quilombo do Talhado. “O filme Aruanda, de Linduarte Noronha, nos inspirou muito. Temos depoimentos de quem participou das gravações na década de 1960 e buscamos trazer referências desta produção que mudou a cara do cinema brasileiro na época”, explicou Diovanne.

Após esta exibição, o vídeo será inscrito em Mostras de Cinema do Brasil e enviado a representações do FIDA em países da Europa, América latina e África, com versões legendadas em inglês e espanhol para serem exibidas nas regiões que recebem apoio do Fundo Internacional.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.