Cultura

Cinema: Estudante da UFCG produz filme mudo com atores surdos em Campina Grande

Cenas do curta-metragem foram gravadas na universidade.




Todas as gravações do filme “Sentidos” aconteceram nas dependências da UFCG, em CG (Arquivo pessoal)

Já imaginou a experiência de desenhar os sons através das cores? A tarefa parece difícil, mas Danilo Guimarães de Almeida, de 26 anos, não encontrou obstáculos para executá-la. O desafio tomou forma quando ele criou e produziu o filme “Sentidos” e o apresentou como trabalho de conclusão ao Curso de Arte e Mídia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

O cineasta inovou quando resolveu compensar a falta de efeitos sonoros fazendo um jogo com a intensidade das cores na telona. Através desse artifício, quem assiste ao filme sente as emoções e sentimentos que o produto passa.

Os protagonistas da obra são todos surdos e os atores que os interpretam também. Eles conversam durante todo o filme através da Língua Brasileira de Sinais (Libras). O curta-metragem não tem legendas na Língua Portuguesa o autor da obra o motivo.

“Eu tenho um primo surdo que é quase um irmão para mim. A gente convive desde crianças, inclusive com outras pessoas surdas também. Assisti muitos filmes com eles e notei que eles nunca tinham a mesma percepção que eu, eles não sentiam a mesma emoção por que a linguagem não era a deles. Por isso, sempre quis produzir conteúdo voltado para esse público”, explicou.

Reflexão

O curta-metragem tem duração média de 15 minutos e conta a história de três personagens surdos que acordam em um local parecido com um cativeiro e são perseguidos por um vilão que é cego. Os cenários de todas as gravações foram os prédios da própria universidade.

Ao todo, 20 pessoas se envolveram no projeto. Danilo tinha medo que a comunicação entre a equipe técnica e os atores passasse por dificuldades, mas revela que ficou surpreso com o resultado da interação.

“No começo foi difícil, mas em pouco tempo eles começaram a se comunicar muito bem. Isso foi gratificante, esse era o meu principal objetivo e o vi tomando forma”, finalizou Danilo que foi aprovado na disciplina e com orgulho já pensa em outros projetos no mesmo estilo.

A obra é totalmente voltada para o público surdo. O autor explicou que optou por não disponibilizar legendas nas imagens para que os ouvintes que assistem passassem pelas mesmas experiências e refletissem sobre as dificuldades que os surdos enfrentam quando consomem o conteúdo voltado para os ouvintes.

Elenco e estreia

Os atores que participam do curta estão vinculados ao Curso de Letras Libras da UFCG. Segundo Danilo, todos abraçaram o projeto e deram todo o apoio necessário para que ele fosse colocado em prática.

O público lotou o auditório do Cine Teatro São José para assistir a primeira exibição do filme (Arquivo pessoal)

Dos quatro atores selecionados, três são surdos e um é ouvinte. De acordo com o criador da história, ele não apresentaram nenhuma dificuldade para interpretar. “Muito pelo contrário. Eles se expressam muito bem. Como não se comunicam por meio da oralidade, conseguem mostrar as emoções com o corpo todo”.

A estreia do filme deixou o auditório do Cine Teatro São José lotado e aconteceu no dia 11 de dezembro de 2018. A maior parte do público foi de surdos, mas familiares e amigos que são ouvintes também assistiram ao lançamento.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.