Cultura

Com disco novo, Angela Maria volta a se apresentar na Paraíba

A ‘Sapoti’ se apresenta hoje no auditório da Estação Cabo Branco e quinta-feira em Campina Grande .




“Esse público daí é muito querido. Sempre fui muito aplaudida, muito paparicada, muito amada. Isso faz com que eu permaneça muito mais tempo cantando”, derrete-se uma irradiante Angela Maria, ao telefone.

Depois de mais de 20 anos longe da Paraíba, uma das maiores cantoras do país está de volta para dois shows: hoje, no auditório da Estação Cabo Branco, em João Pessoa, às 20h, e quinta-feira que vem, no Teatro Severino Cabral, em Campina Grande, também às 20h. Os ingressos custam, respectivamente, R$ 80,00 (inteira) e R$ 60,00 (inteira) – estudantes e idosos acima de 60 anos pagam metade do valor.

Aos 86 anos de idade, completados em maio, Sapoti – apelido que lhe fora dado por Getulio Vargas, no primeiro encontro da cantora com o presidente – passa por aqui em meio a uma turnê nacional para promover Angela à Vontade em Voz & Violão (Nova Estação/Tratore), CD que chega às lojas neste mês de agosto.

Em meio a 12 faixas, Angela grava, pela primeira vez, clássicos da música brasileira que nunca haviam entrado no estúdio com ela, até então.Como o título indica, as gravações trazem somente Angela Maria e o violão de Ronaldo Rayol, um velho parceiro de palco, dela e do inseparável Cauby Peixoto.

“É a primeira vez que eu faço essa formação numa gravação e eu adorei, porquê eu fiquei bem à vontade para interpretar as canções”, comenta Sapoti, acostumada a ter de orquestras sinfônicas a trios acompanhado sua voz robusta e afinada.

O formato foi testado no palco antes do estúdio, em shows entre São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Agora, a dupla chega para mostrar o repertório que acaba de gravar.

Além de canções como ‘Nunca’ (Lupicínio Rodrigues), ‘Só louco’ (Caymmi) e ‘Manhã de carnaval’ (Luiz Bonfá e Antônio Maria), Angela Maria garante que os grandes sucessos que marcam seus mais de 60 anos de carreira não ficarão de fora.

Interativo, ela diz que conversa muito com o público durante o show e atende aos pedidos de música. Clássicos do repertório não deverão ficar de fora, como ‘Vida de bailarina’, ‘Tango pra Tereza’ e ‘Gente humilde’ – este última, a música favorita da intérprete. “É quase que a minha história”, justifica. “É como se eu a tivesse cantando pra mim”.

PUBLICADO RENOVADO

Angela Maria conta que resolveu gravar esse disco para o seu público mais jovem. “Meu público está sempre se renovando”, comenta. “Mas é um público que não conhece essas músicas, que são grandes sucessos de grandes cantores do passado, como Elizeth Cardoso, Dick Farney, Carmen Costa, Dolores Duran… São músicas que fizeram muito sucesso nas vozes deles, que eu trago para esta juventude de agora”.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.