Cultura

'Bacurau' tem força para chegar ao Oscar? Elenco paraibano comenta possibilidade

Vencedor no Festival de Cannes, filme chega aos cinemas brasileiros em 29 de agosto




‘Bacurau’ conta a história de uma comunidade (Foto: Divulgação)

O longa ‘Bacurau’ fez história ao trazer pela primeira vez para o Brasil o Prêmio do Júri no Festival de Cannes, na França, em maio. Com a conquista histórica, é natural que já surja uma questão: o filme pode representar o Brasil no Oscar? O JORNAL DA PARAÍBA conversou com o elenco paraibano do longa dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dorneles sobre essa possibilidade. Atores e atrizes demonstram confiança.

O Brasil nunca ganhou um Oscar. O país não tem uma produção concorrendo na cateogoria de filme estrangeiro (que a partir do ano que vem passa a se chamar filme internacional) desde 1999. Há 20 anos, quem representou o país foi ‘Central do Brasil’, de Walter Salles. Naquele ano quem ficou com a estatueta foi o italiano’A Vida é Bela’, de Roberto Benigni. Nos anos seguintes o Brasil conseguiu outras indicações em outras categorias, como o caso de ‘Cidade de Deus’, que disputou quatro estatuetas em 2004 após ter sido rejeitado pela Academia na disputa de filme estrangeiro um ano antes.

O longa de Walter Salles foi a primeira experiência no cinema da atriz paraibana Ingrid Trigueiro, que está no elenco de ‘Bacurau’ e diz acreditar que é possível sim repetir o feito. “Tem total condição de chegar [ao Oscar]. É um filme que diz muito sobre nós Brasil e é feito com muita qualidade. O encontro de Juliano Dorneles com Kleber Mendonça dá essa potência. ‘Bacurau’ vem com toda força”, comenta.

 

Ver essa foto no Instagram

 

#tbt da lindeza que foi o Red Carpet. #Bacurau

Uma publicação compartilhada por Ingrid Trigueiro (@ingrid.trigueiro) em

“O filme tem um material riquíssimo, que merece um Oscar, ou pelo menos chegar lá para ser ainda mais visto. Teve um jornal que disse que Bacurau acordou Cannes, eu acho que Bacurau precisa acordar o mundo, principalmente o nosso Brasil”, ressalta a atriz Danny Barbosa.

‘Bacurau’ é o terceiro longa de Kleber Mendonça Filho, dessa vez dividindo direção com Juliano Dorneles. Os outros dois filmes assinados pelo cineasta pernambucano também flertaram com a premiação do cinema americano. Em 2014, ‘O Som ao Redor’ foi escolhido pelo Brasil para tentar uma vaga na disputa, mas acabou ficando de fora.

Dois anos depois, Mendonça era favorito a ser mais uma vez indicado com o premiado ‘Aquarius’. No entanto, o filme perdeu a vaga para ‘Pequeno Segredo”, de David Schürmann, que não conseguiu chegar ao Oscar. A retirada de ‘Aquarius’ foi tratada como uma retaliação, pois Kleber e a equipe do filme fizeram um protesto contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff no tapete vernelho de Cannes. Naquela época a escolha do indicado era feita pelo Ministério da Cultura. No ano seguinte, muito por conta da polêmica, o Minc passou apenas a receber as inscrições dos filmes e escolha passou a ser atribuição de uma comissão da Academia Brasileira de Cinema.

Thardelly Lima (à direita) com os diretores de Bacuarau (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O elenco paraibano avaliam que as chances de Bacurau passam também pela forma como o indicado vai ser escolhido esse ano. O Ministério da Cultura, por exemplo, deixou de existir e hoje está agrupado ao Ministério da Cidadania.

“A gente sabe que tem uma participação do governo federal nessa indicação. Eu não sei como vai ser muito bem isso, vamos ver se o Oscar vai ter como ‘burlar’ essa indicação aí”, afirma o ator Thardelly Lima, mostrando uma certa desconfiança no processo de escolha. A leitura dele é similar a de Jamila Facury, outra paraibana do elenco. “Eu torço muito para que vá, mas a gente não sabe na atual conjuntura como é que vai ficar a seleção desse filme. ‘Bacurau’ traz críticas a aspectos uito problemáticos no Brasil, a gente não sabe como vai ser”, completa.

>>Cinema de Kleber Mendonça está entre o que há de melhor no Brasil

Buda Lira disse esperar que se faça justiça, principalmente a Kleber Mendonça, com ‘Bacurau’ sendo o filme escolhido pelo Brasil. Seria a correção de um erro histórico, que vitimou ‘Aquarius’. “Tem todas as condições de ser indicado, pela história dele [Kleber], dos filmes importantes que ele já fez, a história do próprio ‘Bacurau’. É um filme de muita força, que fala muito profundamente do nosso país”, diz.

Sônia Braga está no elenco (Foto: Divulgação)

Expectativa para a estreia

‘Bacurau’ chega os cinemas brasileiros no dia 29 de agosto e o elenco paraibano também está na expectativa para que o filme seja tão bem recebido pelo público do país, como foi pela crítica internacional. “Nossa alegria maior vai ser quando a gente tiver com todas as salas lotadas”, afirma Buda Lira.

A trama do longa conta a história de um pequeno povoado chamado Bacurau, que vive de forma tranquila até a morte de uma de suas habitantes mais velhas, dona Carmelita, aos 94 anos. Com isso, os moradores descobrem que a comunidade desapareceu do mapa e a tranquilidade do local fica ameaçada.

“Vai ser impactante [ a estreia no Brasil]. A minha expectativa é a melhor possível, que as pessoas entendam que com a arte a gente reflete e a gente informa e abre a mente. Esse é nosso papel de artista”, ressalta Ingrid Trigueiro.

“É um filme que vai impressionar muito, ele passa por muitos lugares do Brasil. É um filme que abarca todas as catefgorias de gênero e de raça. Você começa a assistir e não sabe o qiue vem pela frente”, pontua Thardelly Lima.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.