Cultura

'Bacurau' está na disputa para representar o Brasil no Oscar

Filme de Kleber Mendonça e Juliano Dornelles tem seis paraibanos no elenco.





O filme ‘Bacurau’, que tem seis paraibanos no elenco, está na disputa para representar o Brasil no Oscar. A lista que tem 12 concorrentes foi divulgada nesta segunda-feira (12) pela Academia Brasileira de Cinema. O longa de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles recebeu o prêmio do júri no Festival de Cannes deste ano e estreia em 29 de agosto no país.

O escolhido pode concorrer na categoria de Melhor Filme Internacional (anteriormente chamada de Melhor Filme Estrangeiro) no Oscar. O vencedor será anunciado no dia 27 de agosto. No entanto, isso é apenas uma pré-seleção, pois os indicados ao maior prêmio do cinema são definidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA. Essa definição só sairá em 13 de janeiro de 2020.

Filme estreia nos cinemas brasileiros em 29 de agosto (Foto: Reprodução)

Em junho, o JORNAL DA PARAÍBA conversou com parte do elenco paraibano de ‘Bacurau’ sobre a possibilidade do filme entrar na disputa do Oscar. “Tem todas as condições de ser indicado, pela história dele [Kleber], dos filmes importantes que ele já fez, a história do próprio ‘Bacurau’. É um filme de muita força, que fala muito profundamente do nosso país”, disse o ator Buda Lira, na época.

>>’Bacurau’ é forte acontecimento político e é grande cinema

“O filme tem um material riquíssimo, que merece um Oscar, ou pelo menos chegar lá para ser ainda mais visto”, disse a atriz Danny Barbosa sobre uma possível indicação.

Concorrência

O principal concorrente de ‘Bacurau’ é “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz. O filme também foi premiado no Festival de Cannes deste ano, vencendo a mostra paralela ‘Um Certo Olhar’. (veja a lista completa de concorrentes abaixo)

O Brasil nunca ganhou um Oscar. O país não tem uma produção concorrendo na categoria de filme estrangeiro desde 1999. Há 20 anos, quem representou o país foi ‘Central do Brasil’, de Walter Salles. Naquele ano quem ficou com a estatueta foi o italiano’A Vida é Bela’, de Roberto Benigni. Nos anos seguintes o Brasil conseguiu outras indicações em outras categorias, como o caso de ‘Cidade de Deus’, que disputou quatro estatuetas em 2004 após ter sido rejeitado pela Academia na disputa de filme estrangeiro um ano antes.

Confira a lista completa

“Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

“Los Silencios”, de Beatriz Seigner

“A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz

“Sócrates”, de Alex Moratto

“A Última Abolição”, de Alice Gomes

“A Voz do Silêncio”, de André Ristum

“Bio”, de Carlos Gerbase

“Legalidade”, de Zeca Brito

“Humberto Mauro”, de André Di Mauro

“Espero Tua (Re)Volta”, de Eliza Capai

“Chorar de Rir”, de Toniko Melo

“Simonal”, de Leonardo Domingues


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.