Cultura

A força do espinafre

Depois de um hiato de mais de dez anos, marinheiro Popeye volta a ser publicado no Brasil. 




"Sou forte até o fim, com espinafre pra mim! Eu sou o marinheiro Popeye!", já cantarolava esse famoso marujo de 83 anos, comedor de espinafre, apaixonado pela Olívia Palito e protegendo-a do eterno e marrento arqui-inimigo, o Brutus.

A safra da hortaliça que oferece força e confiança ao personagem estava em baixa há mais de uma década, tempo em que não se lia frases como “Macacos me mordam!” nas páginas das histórias em quadrinhos lançadas no Brasil. Neste mês, o marinheiro Popeye e toda sua turma está de volta, na segunda edição da revista do Recruta Zero (68 páginas, R$ 4,50), publicada pela Pixel Media (selo da Ediouro).

A última vez que as aventuras do Popeye foram vistas nas livrarias do país foi no segundo volume do álbum da coleção Opera King, lançado no final de 2001 pela Opera Graphica. Em cada edição, a série trazia um personagem clássico da King Features Syndicate como protagonista, incluindo o próprio Recruta Zero, Os Sobrinhos do Capitão, Hagar – O Horrível, Pinduca, Mandrake, Betty Boop, Krazy Kat e Reizinho.

Nas bancas, o intervalo foi ainda maior: desde o final dos anos 1980 o personagem não aparecia. A última vez foi na 16ª revista que levava seu nome editada pela Globo. Na sua vida de papel, o marinheiro foi publicado pela Ebal nos anos 1950 e 60 (a 1ª série teve exatos 100 números), RGE, Saber e Abril nos anos 1970, além da Bloch, antes da Globo, nos anos 1980.

A atual revista que leva o nome do preguiçoso soldado criado por Mort Walker traz Popeye e sua turma dividindo atenção com outros clássicos dos quadrinhos como Hagar – o Horrível e Pinduca, entre outros. Mas, segundo o editor da revista Recruta Zero, Daniel Stycer, o personagem ganhará um maior destaque nos próximos números. Quem assina a HQ do marinheiro é Bud Sagendorf (1915-1994).

SUPER-HOMEM
Criado pelo norte-americano E.C. Segar (1894-1938), Popeye surgiu em 1929, como coadjuvante nas tiras Thimble Theatre, impressas nas páginas do New York Journal.

Quatro anos depois, a sua popularidade ganhou o mundo dos desenhos animados, que teve várias fases em estúdios ao longo dos anos (Fleischer/Famous Studios, King Features Syndicate TV, Hanna-Barbera, Paramount). Atualmente, episódios da King Features passam no canal fechado Gloob, pertencente à Globosat.

Chegou a ser usado pelo Monteiro Lobato no seu livro Memórias da Emília (1936) e virou filme de carne e osso em 1980 pelo diretor Robert Altman (O Jogador), com roteiro de Jules Feiffer (da revista MAD) e protagonizado por Robin Williams (A Sociedade dos Poetas Mortos) e Shelley Duvall (O Iluminado).

Em abril, nos EUA, foi lançada uma nova revista do Popeye, uma parceria entre a IDW Publishing e a King Features. A capa do número um faz uma homenagem à clássica edição de estreia da revista Action Comics (1938), com a primeira aparição do Super-Homem.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.