Concursos e Empregos

Mercado aquecido na área de educação

O mercado de trabalho para professores está em alta no Estado.



 Com o surgimento de novas escolas no Estado e, ainda, a abertura de editais nas universidades, o mercado de trabalho para professores está em alta. Para conquistar uma vaga, no entanto, é necessário muito mais que o conhecimento teórico: habilidade na comunicação, além da constante capacitação são ingredientes imprescindíveis. Apesar de todas as dificuldades que a profissão traz, no entanto, aqueles que já são professores garantem: na maioria das vezes, trata-se de uma paixão pela sala de aula, impossível de ser deixada de lado. 

A paixão, na maioria das vezes, principalmente nos casos da Educação Infantil, vai além do ensino: extrapola para os próprios estudantes. E em tempos em que os pais colocam seus filhos cada vez mais cedo nas escolas, para poderem ir trabalhar, a responsabilidade com a educação é, também, fundamental para quem deseja ser professor. 
 
De acordo com Leânia Ferreira, supervisora do colégio Motiva, em João Pessoa, a seleção de novos professores tem quatro etapas: análise de currículo, entrevista, uma semana de estágio e, depois, uma avaliação escrita. "Os que passam na avaliação escrita participam de uma dinâmica e, aí, são contratados", comenta.
 
Segundo ela, algumas características são esperadas desse tipo de profissional: além de que ele tenha um bom embasamento teórico, é necessário, também, que conheça todas as etapas do desenvolvimento infantil, os processos de aprendizagem e, ainda, que tenham condições de elaborar e executar planejamentos estratégicos que sejam voltados para o desenvolvimento infantil, como a linguagem oral e a escrita, além do matemático.
 
É necessário, também, que a pessoa tenha algumas características em sua personalidade: que ela seja uma pessoa dinâmica e com responsabilidade no que faz. "É preciso que seja uma pessoa envolvida com o trabalho, porque ser professor é uma profissão extremamente delicada: ela, afinal, tá lidando com a formação da criança, o desenvolvimento de sua personalidade, ampliando o seu conhecimento de mundo", pontua.
 
Na escola em que Leânia supervisiona o processo seletivo, há, além da preocupação em fazer uma seleção extremamente rigorosa, também há uma preocupação após a seleção. Acontece que, inicialmente, os profissionais não trabalham os dois turnos: apenas um. "Nenhuma seleção vai fazer você conseguir conhecer realmente 100% a pessoa. Então seria muito arriscado a gente já começar com a pessoa nos dois períodos", pontua.
 
Para quem está de olho no mercado para professor, uma oportunidade que vai surgir para profisionais de Educação Infantil será na Escola Adventista de João Pessoa, que será lançada, provavelmente, em 2018. De acordo com o pastor Wallace Lopes, embora haja um terreno reservado para a escola no bairro do Altiplano, desde 2012, o que deve acontecer é o aluguel de alguma escola que não esteja mais funcionando. "Provavelmente vamos fazer isso agora, no ano de 2016, para abrirmos as matrículas em 2017", explica.
 
Segundo ele, também neste ano será realizado um estudo para avaliar se a escola irá oferecer turmas até o 9º ano do Ensino Fundamental ou se também irá oferecer turmas para o nível médio. "A Igreja Adventista, no que diz respeito à educação no Brasil, tem uma tradição de mais de 100 anos. Então além dessa experiência que nós temos um grande diferencial", comenta.