Concursos e Empregos

Vagas em hotéis e restaurantes devem aumentar 50% com chegada do verão

Detalhes como saber se portar em uma entrevista de emprego podem ser fundamentais na hora de conseguir garantir uma vaga.



Quem está em busca de um emprego deve ficar atento: com a chegada do verão, a expectativa é de que aumente em até 50% o número de vagas em setores como hotéis e restaurantes, além das oportunidades que surgem no comércio informal. Estar bem qualificado, no entanto, é fundamental. Detalhes como saber se portar em uma entrevista de emprego podem ser fundamentais na hora de conseguir garantir uma vaga.

Para a presidente da PBTur, Ruth Avelino, a expectativa para o turismo nos meses de verão é extremamente positiva. "Mesmo na baixa estação, a ocupação tá sendo na casa dos 70%, então a expectativa é de que em janeiro nós atinjamos pelo menos 87% de ocupação dos hotéis, o que representa um acréscimo de 5% em comparação com janeiro deste ano", aponta Ruth. Esse acréscimo no número de turistas traz, consequentemente, um aumento no número de empregos gerados, mas o que poucos sabem é que não é só no ramo da gastronomia e da hotelaria que ele impacta.

"Muita gente pensa que o turismo mexe só com o taxista, os hotéis, os manobristas, condutores de embarcações, bares e restaurantes. Mas isso é um engano. Esse é o emprego direto, aquele que vai ser impactado diretamente pelo aumento do turismo, claro, mas há também um impacto em toda uma cadeia produtiva. Se o turista está aqui, ele gasta mais gasolina, mais alimentos, o que impacta toda uma cadeia produtiva", aponta a presidente da PBTur.

Para o coordenador do Sine-João Pessoa, Adênio Neto, enquanto que, historicamente, o aumento no número de vagas durante o verão é de 30% a 40%, este ano espera-se um incremente de até 50% no número de vagas. "A expectativa é excelente para este ano, principalmente por conta da alta do dólar, que vai inibir o turismo internacional", aponta o coordenador do Sine da capital.

Na hora de ser contratado, além da experiência e qualificação, um ponto que pode garantir ou não uma vaga de emprego, de acordo com o coordenador do Sine, é a desenvoltura do candidato durante a entrevista de emprego. "Controlar o nervosismo, saber se portar na entrevista, qual vestimenta usar, são aspectos fundamentais", indica. Para isso, o Sine oferece um curso de iniciação profissional com foco na entrevista de emprego.

O calendário do curso é fixo nas sextas-feiras, das 9h às 11h, na sede do Sine-JP, na Avenida Cardoso Vieira, Varadouro, e todas as quartas-feiras, em um dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras). Para participar das capacitações, o trabalhador deve ir ao Sine de posse de RG, CPF e Carteira de Trabalho.

Uma grande dificuldade, no entanto, que as empresas ainda enfrentam, é a falta de qualificação por parte dos trabalhadores. "Ainda há uma resistência muito grande do próprio trabalhador em se qualificar", afirma a presidente da PBTur, Ruth Avelino. "No entanto, essa é uma realidade nacional que aos poucos vamos conseguindo mudar", finaliza.

Para quem deseja se qualificar para os setores de hotelaria e gastronomia, o Senac oferece cursos nessas áreas. Os interessados podem se inscrever pessoalmente e obter informações através do telefone 3214-2330.

Crescimento do comércio informal

Um outro setor que também cresce bastante com a chegada dos turistas, além dos bares e restaurantes, é o comércio informal, embaixo do sol e em frente ao mar de todos os dias. Trata-se dos comerciantes ambulantes que andam pelo litoral pessoense vendendo alimentos ou acessórios e, durante o verão, graças aos turistas, conseguem garantir o sustento de toda a família.

Para o comerciante ambulante Adailton Chagas, o segredo da venda é o bom diálogo. "O único jeito de convencer o cliente a comprar é através do diálogo. A gente insiste, fala de um jeito, de outro, e aí ele acaba levando", fala. Ele, que vende chapéus na praia há mais de 4 anos, acredita que, embora as pessoas já estejam reclamando da "crise", as vendas irão melhorar com a chegada do verão. "Vem turista de tudo que é lugar nessa época", diz. O seu lucro durante os meses de verão é tamanho que dá para se sustentar durante o ano inteiro.

Já Daniel Severino, também comerciante ambulante, que vende amendoim na orla de João Pessoa há mais de 14 anos, consegue tirar cerca de R$ 400,00 em um dia bom de vendas. "Até agora o movimento tá fraco, mas eu espero que melhore. Todo ano é assim. Essa época, tá baixo, consigo tirar R$ 80,00, R$ 100,00 num dia bom, mas quando chega o verão, melhora", comenta.