Concursos e Empregos

Reta final para o concurso: a uma semana da prova, confira dicas

 Prova irá acontecer no próximo domingo (18). De acordo com especialistas, esse é momento de focar na resolução de questões. 



A apenas uma semana da prova do concurso do Banco do Brasil  (BB), especialistas advertem: essa é a hora de focar na resolução de questões e nos resumos e mapas mentais que porventura tenham sido feitos durante a preparação do candidato. A prova terá duração de cinco horas, no próximo domingo. Um outro ponto que o candidato deve estar atento é em relação ao horário de verão, que começa justamente no dia da aplicação da prova. De acordo com informações da organizadora do certame, a Cesgranrio, vale o horário de Brasília, portanto é preciso que o candidato esteja ciente de que as provas irão começar, na verdade, com uma hora de antecedência do previsto.

De acordo com o coach em concursos Rodrigo Andrade, essa é a hora de buscar resolver questões e identificar as falhas e erros. "O bom é que, por a banca ser a Cesgranrio, a repetição facilita que o concurseiro ache um banco muito grande de questões na internet", comenta, referindo-se ao fato de que o concurso que houve no início do ano do Banco do Brasil também teve como organizadora a Cesgranrio. "Não adianta tentar focar em ver mais conteúdo agora, porque não há mais tempo", pontua.
Segundo ele, a melhor forma de utilizar a resolução de questões é usando o sistema de retroalimentação. Se você fizer um bloco de 15 questões, por exemplo, acertar sete, errar quatro e ficar em dúvida de outras quatro, deve-se ir em busca da resposta dessas questões. "A oportunidade é agora de ter essa resposta. Na hora da prova, o candidato não vai ter como ir atrás da resposta certa", avalia. O ideal, portanto, é partir para os simulados e, também, para os resumos e mapas mentais, caso o candidato os tenha preparado durante seus estudos.

Além de ter em mente a questão do horário de verão, o candidato deve se preparar, também, para o tempo de duração da prova: serão cinco horas de prova. "Isso não significa que você tem muito tempo, porque você tem, na verdade, uma redação para fazer. Muitas pessoas estragam esse tempo, e outros, pelo contrário, já entram agoniados para sair. O importante é que você utilize as cinco horas de forma proveitosa", comenta Rodrigo. Segundo ele, o ideal é que o candidato comece a resolver a prova pelos conteúdos que ele tem mais segurança, pois assim ele irá ganhando autoconfiança para desenvolver o restante da prova. "Se você começar com aquilo que você tem dificuldade, dá logo aquela sensação de pânico e a ideia de incapacidade, o que pode acabar atrapalhando seu rendimento até mesmo naquelas disciplinas que você está preparado", avalia.

A concurseira Emily Tavares já havia se preparado para o concurso do Banco do Brasil que teve no início deste ano. Quando o edital foi publicado desta vez, no entanto, foi pega de surpresa. "Acho que ninguém estava esperando", comenta. Desde então, no entanto, voltou a estudar. "No início do ano, eu estudei com mais empolgação. Mas acabei ficando na posição 56ª. Me arrependi de não ter colocado para Patos, porque lá, talvez, com uma concorrência menor, eu teria passado, mas agora vou tentar novamente", diz.

Ela, que é recém-formada em Contabilidade, possui certa paixão pela área bancária e, por isso, resolveu fazer o concurso do Banco do Brasil. Sua rotina de estudos conta com uma média diária de seis horas de estudos. "Tenho vários resumos que fiz para o concurso anterior, então aproveito eles. E estou refazendo as questões, resolvendo questões. Dessa vez, tomara, uma vaga vai ser minha", finaliza.

Emily Tavares estuda para o concurso pela segunda vez. Sua rotina de estudos inclui cerca de seis horas diárias dedicadas aos conteúdos. (Foto: Rizemberg Felipe)

Questões objetivas e redação

A prova de conhecimentos básicos, com valor total de 30 pontos, incluirá as disciplinas de Língua Portuguesa (10 questões), Raciocínio Lógico-Matemático (10) e Atualidades do Mercado Financeiro (5). Vale ressaltar que dessas questões as que possuem maior peso são as Raciocínio Lógico-Matemático, com peso de 1,5 ponto cada. 

Já na prova de Conhecimentos Específicos, com valor de 70 pontos, estão as disciplinas de Cultura Organizacional (5 questões com valor de 1,5 ponto), Técnicas de Vendas (10 questões sendo 5 com valor de 1,5 ponto e 5 com valor de 2 pontos), Atendimento (10 questões com valor de 1,5 ponto e 5 com valor de 2 pontos), Domínio Produtivo da Informática (5 questões com valor de 1,5 ponto), Conhecimentos Bancários (10 questões com valor de 1,5 ponto) e Língua Inglesa (5 questões com valor de 1 ponto cada). 

A prova terá duração de cinco horas. De acordo com o edital, no entanto, o candidato deve chegar ao local de provas com uma hora de antecedência, munido do cartão de confirmação de inscrição, que pode ser impresso na página da Fundação Cesgranrio, do documento de identidade original com o qual se inscreveu e de caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente. 
O candidato só poderá se ausentar do recinto de provas após uma hora contada a partir do efetivo início das mesmas. Ainda de acordo com o edital, por motivos de segurança, o candidato não poderá levar o caderno de questões, a qualquer momento. 

Os candidatos serão submetidos ainda a uma segunda etapa, que é a prova de redação, e que será realizada no mesmo dia da prova objetiva. A redação deverá ser estruturada na forma de texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo, e valerá até 100 pontos. Serão eliminados os candidatos que obtiverem nota inferior a 70 pontos na redação.

 

Candidato vai precisar entender texto em inglês

O conteúdo de Língua Inglesa, que geralmente não é cobrado nos editais, pode estar causando aflição em muita gente. De acordo com o professor Ailton Mota, no entanto, o candidato pode aproveitar os que antecedem a seleção para acessar a última prova realizada pela Cesgranrio e observar o tipo de questões que são trazidas. O esperado é que as cinco questões do conteúdo sejam com base em um texto cujo tema é ligado à área bancária. Deve-se ter em vista, portanto, o vocabulário dessa área. "As questões devem ser de interpretação e compreensão textual e é possível também que apareçam questões de sinonímia, do vocabulário em si", afirma.

Segundo ele, para ler o texto, que geralmente traz de cinco a seis parágrafos, o candidato deve ter em mente duas técnicas: o skimming e o scanning. "A primeira leitura que ele deve fazer é uma leitura rápida dos parágrafos para se inteirar do tema central. É o que nós chamamos de skimming", comenta. Ao fazer o skimming, o aluno já terá uma ideia geral do assunto do texto e poderá passar, então, para a leitura dos enunciados das questões. Durante essa leitura, ele deve buscar encontrar as palavras-chaves, que são as palavras que contém as ideias principais para descobrir a resposta. "Ele deve ler os enunciados e as alternativas e tentar encontrar as palavras-chaves. Depois, é a hora de voltar para o texto em busca dessas palavras. É a técnica do scanning", complementa. 

"Para usar essas duas técnicas, o aluno vai ter que dispor das palavras cognatas. E, no caso desses textos, como são textos técnicos, o número de palavras do grego e do latim é enorme, o que facilita a compreensão das ideias", indica o professor. Segundo ele, é importante também que o candidato busque identificar as palavras que mais se repetem dentro do texto porque são essas que contêm a ideia central do texto. Além disso, deve-se fazer um bom uso também das evidências tipográficas, que seriam as siglas, letras maiúsculas com nomes de instituições e símbolos como porcentagem.