Concursos e Empregos

Com crescimento da população de idosos, aumenta mercado para cuidadores

Cuidador é o profissional que presta assistência a uma pessoa idosa, dependente ou não. Na Paraíba, o número de idosos cresceu 30,5%



Divulgação
Divulgação

Em tempos difíceis para se achar uma vaga de emprego, um nicho no mercado merece ser explorado: o dos cuidadores de idosos. Com uma população cada vez maior na Paraíba, essa faixa etária precisa de cuidados especiais, com profissionais especializados para isso. Hoje, no Estado, já são oferecidos cursos para esses profissionais, como os do Pronatec, oferecidos no IFPB e o da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

O cuidador de idosos é o profissional que presta assistência a uma pessoa idosa, dependente ou não. No que se refere à assistência, estão incluídas as atividades de vida diária - os cuidadores prestam cuidados a partir de objetivos estabelecidos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer a pessoa assistida.

Na Paraíba, o número de idosos cresceu 30,5% nos últimos dez anos na Paraíba, de acordo com o PNAD (Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio), divulgada em 2014 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Ao todo já são mais de meio milhão de paraibanos com mais de 60 anos de idade. Enquanto em 2003 eram 389 mil o número de paraibanos nessa faixa etária, em 2013 esse número pulou para 508 mil. Em 2012 eram 496 mil, o que representa um crescimento de 12 mil idosos em um ano.

Segundo os dados do IBGE, são 173 mil pessoas entre os 60 e 64 anos de idade na Paraíba. Entre os 65 e 69 anos são 126 mil paraibanos. Acima dos 70 anos de idade é onde se encontra o maior número de idosos no Estado, 209 mil. A maioria é mulher chegando ao total de 287 mil. Já os homens acima dos 60 anos somam 222 mil.

De acordo com a especialista em Gerontologia e presidente da ONG Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento (Olhe), Marília Berzins, o cuidador de idosos deve ser um profissional que gosta de cuidar de pessoas. Precisa ter competências e habilidades para desenvolver com eficiência o seu trabalho com base no respeito aos direitos humanos bem como à autonomia do sujeito. "Deve ser compreensivo e paciente", pontua.

Algo que muitos desconhecem é que, para ser cuidador, não é necessário ter o curso de Enfermagem, tendo em vista que estes profissionais não podem realizar os procedimentos específicos desta categoria. "É muito importante, no entanto, que o cuidador faça um bom curso para exercer a ocupação. No mercado, já existem cursos sérios e com carga horária compatível para a formação destes profissionais", aponta Marília.

A profissão, além de tudo, pode ser bastante gratificante, mas é preciso ficar atento à legislação trabalhista. "Os cuidadores que trabalham em residências bem como em instituições estão protegidos pela legislação trabalhista vigente. As diversas jornadas de trabalho devem ser estabelecidas pelos contratos de trabalho e não poderão ultrapassar o que a lei determina. Um trabalhador não deve trabalhar sem registro em carteira", ressalta.

PROFISSÃO
O cuidador de idosos é uma nova ocupação profissional reconhecida desde 2002 pela CBO - Classificação Brasileira de Ocupações - do Ministério do Trabalho. A criação da profissão está tramitando no Congresso Nacional e já foi aprovada pelo Senado, faltando apenas a Câmara dos Deputados.

Saiba mais
O Pronatec do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) oferece cursos periodicamente para formação de cuidadores de idosos.