Concursos e Empregos

Confira dicas 'matadoras' para o primeiro concurso público

De acordo com o especialista em concursos públicos Rodrigo Andrade, muitas pessoas que nunca participaram de um concurso público estão começando a aderir à ideia



Com a crise econômica, muitos profissionais estão indo em busca do concurso público - algumas vezes, não só pelos altos salários, mas principalmente pela possibilidade de se ter um emprego sem a preocupação, a todo momento, de ser demitido. O número dos chamados 'concurseiros iniciantes', portanto, é cada vez maior. Mas o que o concurseiro deve saber para dar início a essa trajetória? E o que pode esperar?

De acordo com o especialista em concursos públicos Rodrigo Andrade, muitas pessoas que nunca participaram de um concurso público estão começando a aderir à ideia. Muitas, inclusive, com nível superior, estão se submetendo a certames com vagas para nível médio por conta da dificuldade em se passar nos concursos de nível superior - a concorrência é cada vez maior.

"A gente está nessa perspectiva de muita gente iniciando os estudos. Mas uma coisa que o concurseiro tem que ter em mente desde que inicia os estudos é que esse é um projeto de médio e longo prazo. Até existem os casos de pessoas que fizeram concursos pela primeira vez e foram aprovados, mas é muito difícil. É necessário que o candidato visualize que esse é um projeto que trará frutos com o tempo", afirma.

Segundo ele, mais que isso, no entanto, é necessário que o candidato que decida se submeter a um concurso público tenha em mente que é necessário manter o foco. "O que acontece no dia a dia dos cursinhos hoje é que os candidatos se matriculam mas com 20, 30 dias abandonam o cursinho porque não se adequam ao ritmo de estudos. Não levam aquilo ali a sério", comenta. Segundo ele, atualmente existe um percentual de aproximadamente 30% dos candidatos que abandonam o cursinho na metade porque não criam uma disciplina de estudos.

Mas a aprovação depende de estudo, treino e dedicação. Também é importante que o candidato iniciante em concursos acostume-se a ler editais para conhecer os termos utilizados. Apenas através dos editais é possível saber quais são as exigências, fases do concurso e matérias que vão ser cobradas na prova.

Como normalmente o edital é publicado de 45 a 90 dias antes da data de realização das provas, o candidato que consegue entender bem as informações contidas no edital tem a possibilidade de se programar e elaborar um plano de estudos mais eficiente.

Um bom exemplo de quem está iniciando a jornada dos estudos para concursos é a estudante Ariadne Máximo da Silva. Concluindo o curso de Odontologia, ela se submeteu há menos de dois meses ao concurso da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes. Logo após, no entanto, já se submeteu, também, ao do Ministério Público da Paraíba, em 19 de julho.

"Eu não estudei muito. Me preparei mais depois que o edital foi lançado. Mas o que vi é que são pequenos detalhes, coisas mínimas, que fazem a diferença. Se você não tiver estudado, não passa", comenta. Hoje, ela tenta manter uma rotina de estudos de pelo menos duas horas por dia, até que o próximo edital seja lançado.

DICAS

Uma primeira dica para quem está começando a se preparar para os certames é definir um horário de estudos, fazendo um quadro de conteúdos, determinando como vai ser o seu dia a dia. Se você trabalha pela manhã e à tarde, por exemplo, é necessário que se reserve a noite para os estudos. Caso a noite seja dedicada aos estudos, é preciso ter em mente, porém, que mesmo assim é necessário que se reserve um tempo para se estudar sozinho.

E é aí que vêm dois pontos ditos de suma importância: o primeiro é a importância de se fazer um cursinho nesse momento inicial dos estudos. "O cursinho, na verdade, vai encurtar o caminho e preparação do candidato, porque os professores vão mapear os conteúdos principais que caem na prova. Às vezes você pega um edital e vê um absurdo de conteúdos. Os professores vão trabalhar justamente aquilo que vai realmente cair, através da experiência que eles têm, por meio da análise das bancas e das provas anteriores", afirma Rodrigo.

Outro ponto importante para encurtar o caminho da preparação, diz respeito à necessidade de se reservar períodos para se estudar sozinho: caso não se chegue em casa e reveja o conteúdo que foi apresentado naquele dia no cursinho, a apreensão do assunto reduz drasticamente. "Existem pesquisas que mostram que só um dia depois você já perde 25% do conteúdo que foi passado no dia anterior", pontua o especialista em concursos.