Concursos e Empregos

É possível equilibrar festas com estudos

Com os feriados de final de ano, os concurseiros devem curtir momentos de lazer sem se descuidar da preparação



Com a chegada das festas de fim de ano, sempre surge a dúvida para os concurseiros de plantão: vale a pena dar um tempo nos estudos e aproveitar as festas ou isso fará com que ele perca o ritmo de estudos, diminuindo as chances de uma possível aprovação? De acordo com os especialistas, a dica é achar o equilíbrio. "Diminuir o ritmo nesse momento é importante, mas não precisa parar", afirma o diretor do Canal dos Concursos, Fábio Gonçalves.

"É sempre importante achar o equilíbrio. Estudar, sim, mas sem prejudicar os momentos em que tem que ficar com a família.

Sabendo administrar bem o tempo, há tempo para tudo", argumenta. Lazer, exercícios físicos, aproveitar o tempo com a família e ainda manter os estudos em dia. No caso das pessoas que têm provas marcadas para o início do próximo ano, porém, o processo muda um pouco. "O que está em jogo é uma estabilidade para a vida toda, portanto vale a pena investir mais tempo para isso", diz.

No caso do concurseiro ter uma viagem marcada, o ideal é levar o material de estudos e achar um espaço para manter as matérias em dia, caso esteja prestes a fazer uma prova. Para os que não têm prova marcada, porém, a dica é aproveitar 100% do tempo para recarregar as baterias e ganhar força para o estudo.

E o que fazer com a família para que aceite que o concurseiro reserve um tempo do seu dia para se dedicar aos estudos? Para o diretor do Canal dos Concursos, tudo depende, também, do tipo de família que se tem. "Temos famílias que aceitam e incentivam, famílias neutras e famílias que não incentivam. Na verdade, o grande exercício é achar o equilíbrio. Mas para as famílias que incentivam e mesmo as neutras a harmonia para achar o tempo de estudo é fundamental e será respeitado. Para as que não aceitam ou criticam a pessoa estar estudando, a dica é não falar nada. Achar seu tempo e se dedicar", opina.

Para o ano de 2015, muitos concursos estão sendo esperados. Portanto, não dá para perder a chance de estudar cada vez mais.

Destacam-se o concurso do INSS para nível médio com salário inicial de R$ 4.400 e 1.500 vagas e para quem tem o nível superior em qualquer área de formação, o concurso de fiscal federal com R$ 16 mil de salário inicial e mais 2 mil vagas solicitadas ao Ministério do Planejamento e Gestão.

Dias reservados para a família

A jornalista Camila Monteiro, no entanto, pretende passar os meses de dezembro e janeiro estudando. "Inclusive me inscrevi num cursinho para concurso e as aulas começam dia 13 de janeiro", explica. Segundo ela, depois que fez seu primeiro concurso, em dezembro do ano passado, se deu férias em janeiro deste ano e, depois, foi difícil recuperar o ritmo.

Nas festas de fim de ano, porém, pretende "se dar uma folguinha". "Toda minha família mora em Pernambuco e sempre passamos as festas lá. Só vejo minha avó materna no Natal, então não poderia deixar de ir e, muito menos, passar o dia estudando. Pretendo até levar algum material, mas sei que não vai ser um período muito produtivo para os estudos. No Ano Novo é a mesma coisa. Sempre passo com a família do meu pai, todo mundo reunido. Simplesmente não dá pra se trancar no quarto e estudar. Mas depois do Ano Novo recomeço os estudos", conta.

Camila começou a estudar para concursos no final de 2013, assim que terminou o curso de graduação, época que coincidiu com o lançamento do edital do concurso do IFPB. Atualmente, está estudando para o concurso do Conselho Regional de Enfermagem, cuja prova deveria ter acontecido no início de novembro, mas já foi adiada duas vezes, estando marcada, agora, para o mês de janeiro. "Até por conta disso, não posso deixar de estudar até lá", argumenta.

Para cumprir uma rotina de estudos, faz dos estudos seu trabalho. "Tento criar uma rotina para estudar pela manhã e à tarde e, durante a noite, me dedico a outras atividades, como espanhol e muay thai. Cumpro minhas horas de estudo e depois vou fazer outras coisas", pontua.

Folgas vão ocorrer  em alguns momentos

Já o analista de informática Philippe Targino vai aproveitar o mês de dezembro, na verdade, para tirar folga do trabalho e estudar ainda mais para o concurso cujas provas irão acontecer no dia 14: o da Dataprev. "Como eu trabalhei nas eleições e sou servidor público, aproveitei para tirar as folgas que tenho direito na primeira quinzena de dezembro. Assim vou poder dar o gás nos estudos", conta.

Hoje, ele é concursado da Codata e almeja um novo concurso. "Quando eu entrei na Codata, na verdade, é que comecei a ficar mais atento aos concursos. Através dos colegas rolou um incentivo maior", afirma. Em sua bagagem, acumula alguns concursos como o do TRT da Paraíba e o TRT do Rio de Janeiro, no entanto, sempre fica 'na trave'. Chega a alcançar posições próximas ao número de vagas, mas continua em busca da tão sonhada aprovação.

Em relação às festas de Natal e Ano Novo, Targino pretende manter o ritmo de estudos. "Como eu vou estar trabalhando, de qualquer forma, não faz sentido diminuir o ritmo. Talvez só nos dias, mesmo, de Natal e Ano Novo. O dia 25 e o dia 1º. Mas, no resto, pretendo continuar estudando normalmente", pontua.

Embora quando passar o concurso da Dataprev ele não tenha nenhum específico em vista, ele pretende também, mesmo assim, continuar com os estudos. "Claro que quando a gente tem um deadline, um concurso certo, fica mais fácil de estudar e o ritmo acaba aumentando. Mas mesmo sem isso, pretendo continuar estudando. É a hora de revisar", comenta.